quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Palavreado Cá de Nós - 18 de julho

A nossa cultura tem como um dos marcos a linguagem própria do sertanejo, do seridoense. Por aqui “bucho” é barriga, “descansar” é parir, “acunhar” é correr, “vôte” é usado para expressar admiração e “diga-me com quem andas que te direi quem és” ou “pau que nasce torto morre torto” são ditados populares do nosso cotidiano, muitas vezes ditos pelos nossos pais, ou avós, como verdadeiros conselhos para a vida inteira.
Esta particularidade da nossa região, inspiraram Max Antonio Azevedo de Medeiros, a criar a obra literária de 315 páginas, “Palavreado Cá de Nós – linguajar do povo seridoense”, dividido em três capítulos: Dicionário, Ditados Populares e Expressões.
O “Palavreado Cá de Nós” será amostrado hoje no Pingo D’Água em evento bem seridoense, com ponche, bate-bate, cocada, canjirina e outros sabores da terra. Para animar e complementar o retrato do Seridó no evento, haverá serenata com os membros do Programa Porque Hoje é Sábado, da Rádio Rural AM e apresentação do quarteto de clarinetes da Banda Recreio Caicoense, a popular Furiosa.
Vale destacar que Max Azevedo é descendente de São João do Sabugi, filho de João Pereira, irmão do conhecido “Galego de Generosa”.

Anna Jailma – jornalista

Nenhum comentário: