quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Pensamento Jovem II - Por Lázaro Brito


A “lógica”(?) do Amor

Por Lázaro Brito - Adaptação de um texto de Mário Quintana

Você está sozinho. Em frente à TV, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, agora, um amor novinho em folha. Trimmm! Trimmm! (quem mais poderia ser?) Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase "galinha", sem disposição para relacionamentos sérios. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. Por que o amor nunca chega na hora certa? Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans? Agora que você está empregado? Agora que você pintou o apartamento, comprou seu primeiro carro e começou a gostar de jazz? Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio? O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa um ano inteiro hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga e mal repara em outro alguém que só tem olhos para você. Ou então, fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana, os seus amigos lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido à sua vida. O amor é como tesourinha de unha: nunca está onde a gente pensa. Pode estar do seu lado e você não perceba. É onipresente e imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, uma prova terrível, enfim. E as flores vão chegar num dia qualquer apenas para informar-lhe como você é especial para alguém. Espalhe que o amor não é banal. E que, embora estejam distorcendo o sentido verdadeiro dele nos tempos modernos de hoje, ele existe e é o ingrediente mais importante da vida, a porção mágica da Felicidade. "Amar é mudar a alma de casa".



Nenhum comentário: