terça-feira, 25 de setembro de 2007

Programa de Desenvolvimento Solidário apresenta nova fase

Hoje, dia 25, ocorreu Seminário do Seridó no Centro Pastoral Dom Wagner, tendo como tema central as perspectivas e desafios da nova fase do Programa de Desenvolvimento Solidário –PDS, no Rio Grande do Norte.
O evento contou com apresentação de relatório referente ao Seminário Estadual, sobre negociações, estratégias e acordo do Governo do Estado com Banco Mundial, através de representantes do SEAPAC e FETARN. Também ocorreu prestação de contas e apresentação da nova fase do Programa, pela comissão de controle interno do Programa. Encerrando o evento, José Gercino Saraiva, coordenador do Programa no RN e membros do Conselho de Desenvolvimento Rural, debateram as perspectivas e desafios da nova fase do Programa de Desenvolvimento Solidário no Estado.
De São João do Sabugi, esteve presente alguns representantes das associações e Prefeitura Municipal, entre eles, o secretário de agricultura Inácio Dantas, Rubens Medeiros, Onaide Lucena, entre outros.
No Rio Grande do Norte, o Programa de Desenvolvimento Solidário – PDS, tem beneficiado 72 mil famílias, distribuídas em 152 municípios, em prol do combate a desigualdade social, beneficiando artesãos, filarmônicas, famílias residentes na zona rural e outros grupos, que organizados, apresentam projetos através de suas associações.
O Estado tem ganhado destaque quando trata-se de programas sociais e no último dia 24, o Banco Mundial aprovou liberação de 82,5 milhões de dólares, para benefício da convivência com o semi-árido. Com este valor, haverá aplicação em construção de barragens, cisternas, açudes, poços, instalação de dessalinizadores e financiamento de mais 1600 projetos, em benefício de 50 mil famílias, de 165 municípios potiguares, além de outros benefícios, que possibilitam melhor qualidade de vida, na zona rural.
Através dos projetos vinculados as associações, os pequenos produtores rurais, assalariados, assentados, artesãos e outros grupos organizados em comunidade, poderão ser beneficiados, recebendo financiamento para produzirem em comunidade; combatendo assim, a desigualdade social.
Anna Jailma - jornalista

Nenhum comentário: