quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Chuva na Serra do Mulungu e na terra de S. João

Foto: Anchieta França
Vou visitar São João
Porque é minha cidade
Consta em meus documentos
Como naturalidade
Quando está molhada a terra
Quando fica verde a serra
Quase morro de saudade

Versos de Egydio Alves de Medeiros (Egydio Januário)


Todo sabugiense sabe que a chuva aqui é diferente. Tem sabor de conquista, de bonança, de colheita, de festa! Quando a chuva vem na Serra do Mulungu, o povo acelera o coração; o homem do campo planeja início da plantação; as crianças pedem permissão aos pais para o banho de chuva, na bica da calçada.
Depois de muitos meses de calor quase insuportável, inclusive, chegando a ser anunciado 39° em rádios de Caicó, hoje chegou chuva na serra e na terra. Dezembro com chuva é Natal mais feliz, com promessa de bom inverno e boa colheita.
Há poucos dias recebi e-mail do Sr. Egydio Medeiros, da família “Januário”, residente em São Paulo, em que ele fala da saudade de São João, principalmente quando a terra está molhada e a terra está verde. Eu respondi para ele, que na primeira chuva eu colocaria seus versos aqui. Promessa cumprida, Sr. Egydio: a chuva chegou e sua poesia aqui está, para contemplação e comemoração dos filhos da terra.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

5 comentários:

claudia souza disse...

Fico feliz, quando sei que a chuva brota neste sertão tão seco. Porque a chuva se traduz em sorriso no rosto do sertanejo.

Moacy Cirne disse...

Pra nós, seridoenses, o cheiro da terra molhada após as primeiras chuvas do ano é algo inesquecível. E o que dizer de um banho de chuva, debaixo de uma boa bica? No Sul o pessoal não sabe o que é isso não. Um beijo.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Verdade Moacy, nas regiões do Sul e Sudeste, as pessoas desconhecem e até estranham o "banho de chuva". Quando morei em Campinas, SP, as pessoas sempre se surpreendiam quando eu falava no banho de chuva. Não sabem o que estão perdendo...Abraço para todo o Balaio.

Anônimo disse...

Jailma, o cheiro daí é diferente do cheiro daqui!Aqui não sinto o cheiro da chuva, do mato, dos velames, dos mufumbos, dos juremais!Aqui tudo é verde, tão verde que tudo dá passagem.Esta foto é linda! Parece que Deus está pairado sobre São João do Sabugi.Aqui ninguém olha para o céu.É tão comum chover!Ninguém toma banho de chuva! Acham-me louco porque tomo banho de chuva!Agradeço a Deus por esta loucura divina. Palmas para você Jailma.

Geraldo de Caicó disse...

Jailma, estou preparando um show para o próximo ano. Eu e Zé Marconi, faremos uma apresentação em Caicó e outra em São João. A foto apresentada é uma beleza de espetáculo.É Deus que está naquela nuvem linda. Eu disse que aqui em Rondônia, as frutas não têm o doce nem o cheiro das do sertão!A água da cacimba do meu rio, é doce, como doce é o mel de jandaíra!Aqui não tem a filarmônica para eu ouvir!Aí é tão bom! Conformo-me porque foi Deus que me trouxera numa nuvem dessas.Apalusos para vc Jailma. Do amigo Geraldo Anízio filho da terra.