sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Grupo Sabugi de AA comemora 26 anos









Em 10 de janeiro, o Grupo Sabugi de Alcoólicos Anônimos – AA, comemorou seus 26 anos de existência. A reunião do sábado, dia 12, teve clima de festa, com visita dos grupos de Caicó (RN), Ipueira (RN), Jardim do Seridó (RN), São Mamede (PB) e São José de Espinharas (PB).
Na “cabeceira de mesa”, onde os presentes deixam seus depoimentos, foram muitas as retrospectivas de momentos já vividos, todos festejando a vitória perante o álcool.
No grupo de São João, segundo o coordenador atual, já passaram aproximadamente 400 pessoas. No grupo, é perceptível o clima de companheirismo e amizade entre os membros; havendo uma ajuda mútua em favorecimento das 24 horas de sobriedade. Pais de família e jovens da comunidade reúnem-se semanalmente, vivenciando as tradições do Grupo de AA.
No ambiente da sede do grupo permanecem as fotografias de Bill e Bob, fundadores do Grupo de AA no mundo, nos EUA, em 1935. Junto as fotografias, há destaque para as tradições e conceitos do AA, Oração da Serenidade (dita no início de cada reunião) e mensagens de otimismo talhadas em madeira, feitas pelas mãos de artesão sabugiense, integrante do grupo.
O Grupo de Alcoólicos Anônimos, não permite a divulgação de seus membros; portanto, não há publicação de fotografias dos membros. Para integrar o AA basta ter a vontade de parar de ingerir bebida alcoólica. O AA não é vinculado a nenhuma religião e não cobra mensalidades ou taxas. Também não há julgamentos dos atos cometidos ou sermão, lá é prioridade "estender a mão".

Fotografias: Anna Jailma
Anna Jailma - jornalista e blogueira

A poesia Uma Abordagem de AA, é de autoria de Ivan Gorgônio, membro fundador do Grupo Sabugi de AA, em São João do Sabugi. A poesia fala de uma situação real, em que um alcoólatra pediu ajuda a Ivan, para deixar de beber. Com o passar do tempo, Ivan presenciou a vitória daquele cidadão perante o alcoolismo e em sua homenagem criou a poesia abaixo, publicada com autorização do autor.


Certa vez um moreninho
Cambeleando, mal trajado,
Pele seca, pé inchado,
Barrigudo, papudinho,
Disse-me já bem baixinho:
O que é que vou fazer?
Eu já parei de comer
Quase nem posso falar,
Será que lá no AA
Eu vou parar de beber?

Só depende de você
Disse eu ao camarada
Queres vencer a parada
Nós ajudamos a vencer.
Pra se parar de beber
Precisa ter humildade,
Muita força de vontade
E que o cara se controle.
Evite o primeiro gole
Que tem a sobriedade.

No AA não tem sermões,
Taxas nem mensalidade
Se alcança a sobriedade
Assistindo as reuniões,
Seguindo-se as tradições
E os passos que são vitais.
E não se pede demais
Se pede o que quer agora:
Peça vinte e quatro horas
Que Deus lhe dá muito mais.

Pra ir à reunião
Ele tomou emprestado
Uma roupa e um calçado
Porque não tinha mais não.
Lá ouviu com atenção
O que os irmãos falaram
Quando os trabalhos findaram
Chorando ele disse assim:
Todos fugiam de mim
E vocês todos me abraçaram.

Depois, num certo momento,
Eu vi ele com firmeza
Numa cabeceira de mesa
Dando seu depoimento.
Falava dos sofrimentos
De seus tempos de outrora,
Das alegrias de agora
E da vida sem embaraço
Me viu, veio e deu-me um abraço
E disse: vinte e quatro horas

Fiquei emocionado
Pensando dentro do peito
Quem foi aquele sujeito
E hoje está regenerado
E fiquei gratificado
Pela graça que alcancei
Pois no AA encontrei
Quem me tirou da desgraça
E hoje eu pude dar de graça
O que de graça eu achei

Nenhum comentário: