terça-feira, 22 de abril de 2008

Perfil Sabugiense VI - Dercílio Morais










Dercílio Morais, conhecido como Pinto, é uma mistura de idealista, louco, polêmico, "além de seu tempo".
Dercílio é um sabugiense que impõe sua presença seja pela personalidade ímpar, pelas suas ações ou reações surpreendentes, pela sua criatividade ou pelas suas idéias. Amante do antigo, faz questão de preservar móveis e objetos tradicionais, que carregam nas suas formas anos a fio. No interior de sua casa encontra-se oratórios por ele restaurados, imagens sacras antigas, louça de barro, lamparinas de diversas formas e tamanhos, "pé de máquina" que tornou-se adereço moderno...Foi ele o criador da linda casa de taipa, ornamentada na festa do padroeiro, em junho de 2005 e 2006. "Neste ano farei de novo, está tudo guardado e programado na minha cabeça", diz ele.
Dia 21 de abril foi seu aniversário e no banquete, a presença forte e saborosa do rubacão, da caninha servida em canecos de barro...Nas conversas, o curso superior de Teologia, o trabalho na Secretaria Municipal de Cultura, o livro "Lampião - Nem herói nem bandido" que ele começa a ler na data de seu aniversário. A idade não revela, "é segredo, que pensem, que descubram..." diz dando risada.
Filho de Braz Caboclo, Dercílio herda o gosto pela agricultura e cultiva hortas em casa. Herda o talento para arquitetura e pinta paredes, criando detalhes com a bucha vegetal; relata histórias de outrora, ouvidas de seu pai ou de pessoas idosas da cidade; com quem gosta de conversar.
Dercílio é um sabugiense que sabe se fazer presente, a ele ninguém consegue ser indiferente. Ele defende suas idéias e sonhos com garra, discorda aqui, alimenta uma idéia acolá, cria outra ali...E assim segue, presente de uma forma ou de outra; na vida de todos os sabugienses. Dercílio, certamente, será um sabugiense imortal; desses que são perpetuados nas histórias da terra, nos "causos" contados e recontados ao longo dos anos.
Dercílio, parabéns pelo aniversário e pela personalidade que nos provoca a pensar, a agir, a concordar ou discordar. Parabéns por ser diferente e ímpar.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

7 comentários:

João Quintino disse...

Jailma, você fez um excelente perfil de Dercílio, Pinto ou Papai - como prefiro chamá-lo. Polêmico e às vezes irredutível em seus pontos de vista, Papai constrói um acervo para ser guardado no museu que não temos. Acho, até, que Papai, por ser tão interessante, deveria ser empalhado ao ser pego pela Caetana (como diria Ariano Suassuna), e colocado no museu também. Acredito que, pela quantidade de troços e lembranças que Papai tem, já deve ter dobrado o meio século. Ele e Dondon negam, mas são quase da mesma idade, que nenhum dos dois revela. Parabéns, filho de Brás Caboclo! Abraço, Jailma!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

JQ
Seu comentário complementou minhas palavras sobre o perfil de Dercílio. Ele será "empalhado" pela memória dos que o conheceram e pelas histórias que o tem como principal personagem. No futuro, nossos netos irão ficar boquiabertos e darão muitas risadas ao ouvirem histórias que circundam o perfil de Pinto...Abraço.

Zuli disse...

Oi Jailma, que bom que um sabugiense legítimo como Pinto, resgata utensílios que eram tão úteis nas cosinhas das casas dos sítios. Queria saber se Pinto possui Corrimboque, Artifício e Pegador de Brasas. Significa que a nossa memória será preservada e que as futuras gerações poderão saber o que é um Valente, um Atajé, um Pilão, um Ferro de Brasa, etc. Grande abraço. Zuli

Zuli disse...

Oi Jailma, desejo registrar a minha satisfação em saber que o nosso autêntico conterrâneo cultiva um acervo de utensílios que fazia parte das casas de quem viveu nos sítios da nossa cidade. Desejo saber se Primo tem na sua coleção pegador de brasas, corrimboque e artifício (este último raríssimo - trata-se de um esqueiro artesanal). Uma vez na feira de Caruaru encontrei essas relíquias, mas como o vendedor tinha que ir pegar em casa Fatinha não concordou que eu o aguardasse. Desejo parabenizar a Primo pela iniciativa e fico feliz de saber que as futuras gerações saberão o que é um cassuá, urú, atajé, etc. Grande abraço. Zuli

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Zuli,
Não sei se Pinto tem as relíquias citadas por você: corrimboque, artifício e pegador de brasa, mas posso garantir que pilão, ferro de brasa, atajé e outras marcas do nosso sertão, ele tem por lá.
Ah, aqui em casa temos pegador de brasa, atajé e valentão de mexer feijão...
Abraço para você, Fatinha e família.

Jackislandy e Silmara disse...

Adorei também sua matéria em forma de biografia sobre "Pinto" no blog. Pinto é uma personagem cheio de interfaces da São João de todos os tempos e de todos os modos, além de ser meu amigo. Ficou muito original seu trabalho, uma vez que, como sabemos, Pinto reúne histórias e polêmicas do passado, do presente e do futuro do cidadão sabugiense. Ele é um acervo cultural à parte. Valeu pela originalidade. Acho que ele gostou.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Jackislandy,
Ainda não encontrei Pinto para saber se ele aprovou ou não, os comentários feitos por mim. Tomara que ele aprove tanto quanto você, JQ e Zuli.
Obrigada pela presença constante no blog.