segunda-feira, 14 de abril de 2008

Vou-me embora para o passado...









Estive na Guarita no último domingo. No caminho, paisagens do sertão me levaram à histórias da infância, à histórias contadas pelos pais e avós...São paisagens que nem parecem integrar este mundo do "corre-corre", da tecnologia, da modernidade: o sertanejo que vai para o sítio numa carroça com um burro, levando no colo dois netinhos, o homem do campo que "viaja" de bicicleta, o juazeiro, a canoa que conduz o pescador...
São paisagens que saíram dos livros de Euclides da Cunha. Tudo isso me lembrou a poesia "Vou-me embora pro passado"de um paraibano chamado Jessier Quirino, paraibano de Campina Grande, "arquiteto na profissão, poeta por vocação, matuto por opção", Jessier é autor de cordéis, causos, músicas e escritor de vários livros.
Segue para vocês alguns trechos da poesia "Vou-me embora pro passado", de Jessier Quirino e se quiser ouvir Jessir declamando a poesia de forma integral, é só clicar aqui... Tente não chorar ao ouvir...



Fotografias: Anna Jailma
Anna Jailma - jornalista e blogueira

Vou-me embora pro passado


...Vou-me embora pro passado.
No passado tem Jerônimo
Aquele Herói do Sertão
Tem Coronel Ludugero
Com Otrope em discussão
Tem passeio de Lambreta
De Vespa, de Berlineta
Marinete e Lotação.

...

Vou-me embora pro passado
Que o passado é bom demais!
Lá tem meninas "quebrando"
Ao cruzar com um rapaz
Elas cheiram a Pó de Arroz
Da Cachemere Bouquet
Coty ou Royal Briar
Colocam Rouge e Laquê
English Lavanda Atkinsons
Ou Helena Rubinstein
Saem de saia plissada
Ou de vestido Tubinho
Com jeitinho encabulado
Flertando bem de fininho.

...

Os homens lá do passado
Só andam tudo tinindo
De linho Diagonal
Camisas Lunfor, a tal
Sapato Clark de cromo
Ou Passo-Doble esportivo
Ou Fox do bico fino
De camisas Volta ao Mundo
Caneta Shafers no bolso
Ou Parker 51
Só cheirando a Áqua Velva
A sabonete Gessy
Ou Lifebouy, Eucalol
E junto com o espelhinho
Pente Pantera ou Flamengo
E uma trunfinha no quengo
Cintilante como o sol.
...
Lá no passado tem corso
Lança perfume Rodouro
Geladeira Kelvinator
Tem rádio com olho mágico
ABC a voz de ouro
Se ouve Carlos Galhardo
Em Audições Musicais
Piano ao cair da tarde
Cancioneiro de Sucesso
Tem também Repórter Esso
Com notícias atuais.

Tem petisqueiro e bufê
Junto à mesa de jantar
Tem bisqüit e bibelô
Tem louça de toda cor
Bule de ágata, alguidar
Se brinca de cabra cega
De drama, de garrafão
Camoniboi, balinheira
De rolimã na ladeira
De rasteira e de pinhão.

Lá, também tem radiola
De madeira e baquelita
Lá se faz caligrafia
Pra modelar a escrita
Se estuda a tabuada
De Teobaldo Miranda
Ou na Cartilha do Povo
Lendo Vovô Viu o Ovo
E a palmatória é quem manda.
...

Vou-me embora pro passado
Pra não viver sufocado
Pra não morrer poluído
Pra não morar enjaulado
Lá não se vê violência
Nem droga nem tanto mau
Não se vê tanto barulho
Nem asfalto nem entulho
No passado é outro astral
Se eu tiver qualquer saudade
Escreverei pro presente
E quando eu estiver cansado
Da jornada, do batente
Terei uma cama Patente
Daquelas do selo azul
Num quarto calmo e seguro
Onde ali descansarei
Lá sou amigo do rei
Lá, tem muito mais futuro
Vou-me embora pro passado

6 comentários:

Servidores disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Servidor, I hope you enjoy. The address is http://servidor-brasil.blogspot.com. A hug.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Hi! Thank you very much! Welcome and your blog is wonderful.

Moacy Cirne disse...

Oi, gostei da sua paródia do poema de Manuel Bandeira. Um beijo.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

A poesia é de Jussier Quirino de Campina Grande, realmente uma linda poesia.

Zuli disse...

Parabéns pelas belas imagens, Jailma. Você este ano nos colocou com os olhos e o coração na terra molhada do nosso Sertão. Agradeço pelas belas imagens que nos permitiu à distância compartilhar desse, infelizmente raro, espetáculo da natureza que é o nosso Sertão com cheiro de terra molhada e a alegria nas faces do nosso povo estampada! Parabéns. Zuli

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Zuli,
Sua visita e seus comentários enriquecem o blog. Seja sempre bem-vindo! Ah, vi sua foto com carcará no blog de JQ. Bela fotografia! Adorei.