segunda-feira, 26 de maio de 2008

Monsenhor Agripino é homenageado em Caicó

Em 29 de maio, próxima quinta-feira, Monsenhor João Agripino Dantas, de 83 anos de idade e 58 anos de sacerdote, recebe homenagem em solenidade da Câmara de Vereadores de Caicó pela sua atuação como sacerdote e educador na região Seridó. O evento ocorre às 8h e várias pessoas da nossa cidade irão comparecer.
O blog À Flor da Terra parabeniza Monsenhor João Agripino pela sua vida sacerdotal e pelo seu exemplo como educador do Seridó. Aos vereadores de Caicó, parabéns pela iniciativa.
BREVE HISTÓRICO - Monsenhor João Agripino nasceu em 1924, em Cruzeta, numa família de cinco filhos, sendo que dois faleceram ainda crianças. O menino João e suas duas irmãs iniciaram seus estudos em Cruzeta, sendo que ele encantou-se com as letras, através do ensino de sua mãe; que em casa, o alfabetizou, até que ele pudesse ingressar no ensino primário da época. Os três irmãos ingressaram na vida religiosa, sendo que Olympia e Estanislava ingressaram na Congregação das Filhas do Amor Divino, na década de 1940 e João Agripino, ordenou-se padre na Basílica de São João de Latrão, em Roma, no ano de 1950.
Em Roma, Pe. Agripino aprofundou seu conhecimento em Teologia, na Pontifícia Universidade Gregoriana, entre 1946 e 1950. Sua vivência em Roma permitiu convívio com colegas de setenta e cinco nações; favorecendo a troca de conhecimentos sobre os mais diversos assuntos. Além da Itália, Monsenhor Agripino conheceu Portugal, Espanha, França, Bélgica, Suíça, Alemanha, Itália, Turquia, Egito, Jordânia, Israel, Grécia, África do Sul, Angola, México e Estados Unidos da América. Além de Teologia, ele estudou Sociologia Pastoral, no Centro Internacional para a Formação Social do Clero, em Roma. Em Caruaru, PE, cursou Letras, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras; e em Recife, capital pernambucana, cursou Filosofia na Universidade Católica. Além disso, vários outros cursos foram concluídos; principalmente cursos da área pedagógica, sendo priorizados os cursos relacionados à Língua Portuguesa e Latim. Também integrou estudos parapsicológicos no Centro Latino-Americano de Parapsicologia, em São Paulo.
Como educador sempre foi reconhecido como exímio educador, de profunda sabedoria, sobretudo tratando-se da Língua Portuguesa e Latim. Monsenhor João Agripino foi professor no Ginásio Diocesano Seridoense, antigo GDS, hoje CDS; no Seminário Santo Cura D’Ars, Colégio Normal de Caicó, Colégio Comercial de Caicó, e Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, no Campus de Caicó.
Monsenhor Agripino chegou em São João do Sabugi em agosto de 1967, atendendo nossa comunidade como Pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Ó, em Serra Negra do Norte, que incluía as cidades de Serra Negra, São João do Sabugi e Ipueira. No ano de 1996, precisamente na data de seu aniversário, em 09 de novembro, foi fundada a Paróquia de São João Batista e ele foi o primeiro pároco da nossa Paróquia, permanecendo hoje como Pároco Emérito. Além de São João do Sabugi, Monsenhor João Agripino ou simplesmente Pe. Agripino, como é chamado pelos sabugienses, foi vigário em Jucurutu, auxiliar do pároco da Catedral de Sant’Ana, de Caicó, atendendo as cidades de Jardim de Piranhas, Timbaúba dos Batistas, São Fernando, Lajinhas e Palma.
Monsenhor João Agripino, permanece residindo na nossa pacata São João do Sabugi, terra por ele escolhida como seu porto seguro. E nós, sabugienses, nos sentimos privilegiados por isso.

Foto: Anchieta França
Anna Jailma - jornalista e blogueira

5 comentários:

João Quintino disse...

Toda homenagem para Pe. Agripino é pouca, dada a grandeza de sua entrega à educação do Seridó. Quanto à instalação da paróquia, guardo ainda hoje a cicatriz em minha perna esquerda, pois estava, à tarde, decorando o altar-mor, precisamente o nicho do padroeiro, quando despenquei lá de cima e quase quebrei a perna. Desta feita não vou decorar nada, apenas escrever o texto de saudação. Abraço!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

JQ
Pe. Agripino realmente é digno de todas as homenagens. Quanto a lembrança sobre sua queda do altar-mor, eu nem lembrava...Certamente nem foi "divulgado".
O texto de saudação será brilhante. Aposto.

João Quintino disse...

Jailma, mencionei a queda só por mencionar, pois sempre que falam da instalação da paróquia lembro disso, uma vez que esse dia foi muito atribulado para mim e para todos os envolvidos na organização do evento. Somente as pessoas que estavam na igreja à tarde souberam do acidente, pois o dia era de alegria e nada empanaria o brilho da ocasião. Outra coisa boa: não morri! Abraço!

Gilmar Cardoso disse...

Amiga Ana, parabés pela bela homenagem ao nosso querido padre João Agripino, ele merece, é uma referência na nossa igreja católica.
Seu amigo, Gilmar Cardoso

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Gilmar Cardoso,

Que bom ter sua presença registrada aqui no blog. Apareça sempre!