domingo, 4 de maio de 2008

O caso Isabella Nardoni

Até o momento eu não havia feito nenhum comentário sobre o caso Isabella Nardoni, mas, resolvi expor o assunto aqui no blog. O caso Isabella Nardoni nos faz grandes revelações, a primeira delas é que a Justiça do nosso país não deve ter como símbolo uma balança e sim uma lesma...Quanta lentidão enquanto a crueldade dos homens acelera. E os bandidos que nos rodeiam estão bem ao nosso lado, já não são os desconhecidos; são os mais próximos. Vejamos: é a filha Suzane Richthonfen que mata os pais pensando na herança, o ator que mata a colega de trabalho Daniela Perez, o Pimenta Neves que mata a namorada porque ela terminou o relacionamento, o pai Alexandre como principal suspeito no homicídio da filha Isabella (ainda é suspeito...) E os assassinos estão em liberdade, considerados pela Justiça “aptos a conviver em sociedade”.
Como disse Maysa Úrsula, jornalista em Natal, citando Arnaldo Jabor: “As leis de execução penal têm de ser aceleradas, as punições, mais temíveis, mais violentas, mais rápidas. Há crescimento da crueldade acima de qualquer codificação jurídica. Esta lentidão, arcaísmo da Justiça é visível não só nos chamados 'crimes de classe média', como na barbárie que galopa nas periferias...
Tenho 32 anos e já posso resgatar na memória casos de assassinatos, ocorridos na nossa região e até aqui em nossa cidade, em nosso município; casos em que o assassino não foi encontrado (as vezes, nem procurado...) ou simplesmente está no meio de nós, convivendo em sociedade. Mas, ninguém comoveu-se tanto, comentou tanto quanto os casos noticiados via rede de televisão. Parece que a crueldade só nos comove e só clamamos por justiça, quando a mídia determina isso antes de nós...mesmo que o fato ocorra bem na nossa frente. Ah! E tem que ser noticiado em grandes emissoras de televisão...Se a notícia for veiculada somente nos meios de comunicação da região, a gente não escuta ou simplesmente deixa que “entre num ouvido e saia no outro...” No dia seguinte, já nem perguntamos ao vizinho se ele ouviu falar sobre o desenrolar dos fatos.
Vamos refletir: o que acontece diante de nosso nariz, a gente esquece ou até desconhece? Por que isso acontece? Somos totalmente manipulados pela mídia? Estou quase chegando a conclusão que sofremos a pior das cegueiras: "aquela do cego que não quer enxergar". Vamos acordar, clamar por Justiça sempre, em todas as situações; caso contrário, a gente pode ser comparado a “lesma” como a Justiça...
Foto: divulgação
Anna Jailma - jornalista e blogueira

2 comentários:

Anônimo disse...

Beijos Jailma. Estou um pouco ausente, razão de eu ter me mudado para a cidade de Pimenta Bueno. Seu blog está massa. Um beijo.
Geraldo de Caicó

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Geraldo Anízio, o blog agradece sua visita. Volte sempre. Onde fica Pimenta Bueno? Também na região Norte?