segunda-feira, 9 de junho de 2008

Conheci São José do Seridó...



Urbano tocando uma música para Lêda, deficiente que faz artesanato

Joanita embalando os 'meninos' que ela tem como filhos

São José e a Igreja Matriz, proteção que vem do céu...


Sertão puro e nosso...

São Miguel Arcanjo


Beleza do antigo na Casa Paroquial


Fotografias: Anna Jailma

Conheci São José do Seridó na última sexta-feira. A cidade que já teve o nome de São José da Bonita, tem uma beleza singela, além do aconchego e encanto próprio do nosso Seridó.
As ruas têm muitas pracinhas, bem decoradas com gramas e flores coloridas. O padroeiro São José, em frente a Igreja Matriz saúda os visitantes com bênçãos do céu.
Entre as pessoas do lugar, a senhora Joanita, de 82 anos, me encantou. Alegre, de bem com a vida, Joanita é um ser humano feliz e transmite esta felicidade na risada forte, na emoção ao rever Urbano Medeiros, que ela chama de filho, nos passos rápidos, no brilho dos olhos azuis, no cuidado em acolher todos nós, na fé, na devoção, no trabalho dedicado a Igreja...Como é linda a alegria de Joanita, jovem de coração, feliz como uma criança e lúcida, verdadeira em cada palavra, em cada opinião que expressa.
Além de Joanita, conheci Lêda, deficiente que faz fuxico em tecidos coloridos, criando tapetes, colchas de cama. Lêda é um exemplo de vida.
Na visita a São José, vivi um momento de encantamento ao entrar na Igreja Matriz, templo de fé, de belas imagens sacras, templo do sino forte que se ouve de toda cidade. Lembrei de meu avô Zé Romão tocando no sino de São João, enquanto eu criança esperava por ele nas escadas da torre. Viajei no tempo...
Na Casa Paroquial, pedi permissão ao administrador paroquial, Pe. Jocimar, para fotografar as antigas cadeiras em madeira, da sala de visitas e a imagem de São Miguel Arcanjo me atraiu os olhos. Parecia tão real, que pude imaginá-lo voando naquele espaço.
No silêncio da pacata São José, um ninho de pássaro chamou minha atenção no juazeiro...e dentro dele um olhar expressivo da popular “rolinha”, quieta, repousando. Perfeito. Puro sertão. Puro Seridó, tão nosso... Por fim, descansei na janela da casa que foi do saudoso professor Jacó Libânio de São José. Adoro janelas e aquela laranja, merecia um click no fim da tarde.
Povo de São José do Seridó, mui grata pela acolhida.
Anna Jailma - jornalista e blogueira

6 comentários:

João Quintino disse...

Jailma, essa viagem deve ter sido muito boa, pois o povo de São José é maravilhoso, gentil e extremamente simpático. Quando vi a fotografia dos sofás de época, fiquei me perguntando: ainda existem aqueles da nossa Casa Paroquial?

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

João,
Acredita que foi movida por esta lembrança dos sofás da Casa Paroquial de "Sanja", que fotografei os de São José?! Lembro-me que os daqui nos permitia escorregar do sofá ao chão e eu adorava fazer isso...para desespero de Lica! (risos)

Moacy Cirne disse...

Romário e Eliene precisam ver o seu texto sobre SJS (as mesmas iniciais de sua São João do Sabugi, veja só!). Vão adorar, tenho certeza! Beijos.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Moacy,
Estou na espera pela visita de Eliene e Romário no blog. Quanto as iniciais das nossas cidades, são mesmo semelhantes, aliás, há muito em comum entre as duas cidades; inclusive, o músico Bill Medeiros e seus filhos Urbano e Ubaldo, são filhos daqui e ambos atuaram na música de São José.
Grande abraço! Adoro suas visitas.

Romário Gomes disse...

Oi, Anna Jailma, eu pensava que você já conhecia São José, ou pela atuação no Jornal Correio do Seridó, ou pela aproximação com Carlos Felipe. Costumo dizer que tudo depende dos olhos de quem vê, ou, como queira Rubem Alves, as coisas é quem são tocadas pela beleza que trazemos nos olhos... Sem questionar a beleza de nossa cidade é evidente que sua escrita e sua visão deixam tudo mais encantador (bela a imagem que pega a estátua e a matriz, bela a sensibilidade quanto à personalidade de Joanita...)! Uma pena não tê-la encontrado, uma pena não ter encontrado meu maestro Totó (de quando fui flautista)! Em todo caso, fique à vontade para voltar!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Romário,
Lindas palavras, as suas. Muito obrigada! Também sou fã de Rubem Alves, inclusive, o conheci pessoalmente em Campinas, SP. Na ocasião, ele lançava o livro "Ao professor, com carinho" e bebia uma taça de vinho, enquanto também saboreava um cafezinho.Qualquer dia voltarei a sua terra e sinta-se convidado à visitar minha São João. Lembranças ao Carlos Felipe, jornalista e idealista de São José.