domingo, 1 de junho de 2008

Poesia da terra

Recebi um email de Egydio Alves de Medeiros, sabugiense que há muitos anos reside em São Paulo, na terra da garoa; mas, nem por isso esquece suas raízes e suas características mais fortes. Egydio Januário, como é conhecido entre os sabugienses, tornou-se bombeiro em São Paulo mas não deixou de ser o poeta sabugiense. Sua inspiração poética surge principalmente das lembranças e imagens do sertão. Segue a poesia Galho Seco, inspirada numa imagem de ninho do pássaro Casaca de Couro...
Fotografia: net
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Galho seco


De Egydio Alves de Medeiros

Da natureza tão bela
Você fosse um passarinho
Da árvore que dá a flor
Queria ser um galhinho
Está seco na hora certa
Ser levado pra seu ninho

Tudo enfim é importante
Se tratado com carinho
A flor embeleza a árvore
O fruto que cai do Pinho
As folhas lhe dão a sombra
Galho seco faz o ninho

Um comentário:

João Quintino disse...

Jailma, a casaca-de-couro é a ave da nossa fauna que constrói um dos ninhos mais interessantes, juntamente com o joão-de-barro. Belo poema, singular e sensível. Abraço!