terça-feira, 24 de junho de 2008

São João do Príncipe: lindo de viver!


Alegria de turista

Um clima diferente...
...porque é tempo de São João em São João!
São João de hoje e de ontem...
São João do Príncipe...
São João vive um arraiá...
E lá na roça, as vaquinhas...


O sertanejo que planta o roçado...Quanto milho ele já plantou!!!
E quanto feijão ele já deve ter apanhado...
Sempre observado pela Serra do Mulungu



E o casal vai a festa: é Noite de São João!
Tempo de receber visitantes: sejam bem-vindos!

Gente! Ele é a cara do LULA!


Olha o céu "embandeirado"!!!


O oratório iluminado pelas lamparinas...
E no terreiro, a fogueira vai queimando, em homenagem a São João!


Neste ano, quem veio para São João do Sabugi no sentido Caicó-São João, foi recepcionado pela lembrança concreta da cidade de outrora, a São João do Príncipe.
Dercílio Morais, membro da Secretaria de Educação e Cultural, foi o grande idealizador da decoração junina de toda a cidade e numa referência a origem da cidade, foi criado uma ornamentação com oratório do padroeiro, lamparinas, gente trabalhando na roça, cactus, casal vestido para a festa de São João e muitas bandeirinhas juninas; situando este ambiente na entrada da cidade, em sinal de boas-vindas aos visitantes. Ao lado direito está a Serra do Mulungu e o Rio Sabugi, complementando a paisagem. Na entrada do ambiente, a fogueira de São João.
Muitos foram os visitantes que estiveram aos pés do oratório ou abraçados com os personagens do São João do Príncipe, compondo a paisagem histórica. O lugar tornou-se ponto turístico nos festejos, que nos segura pela mão e nos conduz ao início da nossa história como povo sabugiense. O oratório remete aos registros que traduzem a fé de Ana Joaquina de Souza, que doou o terreno para criação de nossa cidade, e era devota de São João Batista. Por um momento, minha imaginação foi longe: imaginei que durante os festejos, enquanto o povo dança forró e baião na praça, Ana Joaquina vem ali, naquele oratório de outrora, ajoelha-se e reza, pelo povo que brotou de suas terras.

Fotos: Anna Jailma, Dercílio Morais e arquivo de Marcelle Paiva e Suerda Medeiros

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Nenhum comentário: