domingo, 21 de setembro de 2008

Democracia


Foto: Leopoldo Silva - Senador Cristovam Buarque (PDT)


Em São João do Sabugi os professores foram às ruas, na manhã de 16 de setembro, integrando a reivindicação nacional dos educadores, exigindo o cumprimento do piso nacional, em lei sancionada pelo presidente Lula.
Conforme a lei, o piso salarial dos professores é de 950 reais para todo o país, mas, em vários Estados, inclusive no Rio Grande do Norte, o Governo do Estado diz não ter condições de arcar com este custo. Assim sendo, educadores de todo o país realizaram paralisação dos trabalhos em 16 de setembro e foram às ruas, pedindo pelo cumprimento da Lei.
Aqui em São João, com faixas e frases de reivindicações, os professores desfilaram pelas ruas, em mobilização democrática.
O projeto foi apresentado no Senado, pelo Senador Cristovam Buarque e determina no Art. 2º: “O piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica será de R$ 950,00 (novecentos e cinqüenta reais) mensais, para a formação em nível médio, na modalidade Normal, prevista no art. 62 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional”.
E viva a democracia! E viva a Educação! Vivaaaaaaaaa...



Anna Jailma- jornalista e blogueira

2 comentários:

João Quintino disse...

Jailma, é plenamente justa a luta dos professores pela implementação do piso. Acredito que há um prazo para que os governos em todas as esferas possam fazer isso. Espero que isso, de fato, possa colaborar não somente para encher (ou melhor, colocar mais volume, ainda insuficiente!) o bolso do professor, mas para deixar sua estante mais recheada de livros, de jornais, de revistas, pois se não houver um compromisso do mestre com o seu enriquecimento e atualização pessoal, a educação continuará precária. Não basta salário, nem condicões físicas adequadas das escolas, nem merenda boa, sem o envolvimento do professor. Torço para que isso aconteça. Abraço!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

JQ
Realmente, a compra de livros, jornais e revistas, é fundamental, para todos nós; independente da profissão. Tratando-se de educadores, livros são ainda mais essenciais.
Os professores deste país são verdadeiros heróis, mantendo a família, trabalhando na escola e em casa e em alguns casos, como na nossa cidade, eles precisam viajar para outras cidades na busca de bons livros; aliás, bons livros no nosso país são bem caros... Acho mesmo que 950 reais é bom, mas não é suficiente para tanta responsabilidade.

Sempre muito grata, pelos seus enriquecedores comentários,

Anna Jailma.