quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Classe Hospitalar do Hospital do Seridó tem o nome de uma sabugiense

Em Caicó, um projeto de extensão intitulado de “Cuidando da Criança Internada e de Seus Acompanhantes” gerou a Classe Hospitalar Sulivan Medeiros, que tem desenvolvido atividades de caráter pedagógico no Hospital do Seridó.
O projeto é mantido com apoio financeiro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, através do CERES e PROEX, além das doações de material feita pela comunidade e voluntários.
A classe hospitalar dispõe de brinquedoteca, cantinho de leitura voltado para literatura infantil, cantinho do artista para trabalhos artesanais e cantinho pedagógico, atendendo uma média de 400 crianças ao ano e contando com 14 voluntários, alunos do curso de Pedagogia e Matemática; que recebem orientação da Profª Drª Tânia Cristina Meira Garcia.
O coordenador da sala e idealizador do projeto Professor Anderson Clayton Duarte de Medeiros, acompanha, participa da avaliação e orienta o trabalho dos alunos voluntários.
A rotina da classe hospitalar envolve atividades de apoio escolar, recreação, leitura e teatro; no horário das 14h as 16h, de segunda à sábado.
Além de funcionar em Caicó, a classe hospitalar foi também implantada em Parelhas, no hospital Dr. José Augusto Dantas; onde tem o nome de Classe Hospitalar Dr. Sérvulo Azevedo Dias, também vinculada a UFRN/CERES sob a coordenação da mesma equipe.
SOBRE SULIVAN MEDEIROS - A SABUGIENSE: Vale destacar que Sulivan Medeiros que tem o nome na classe hospitalar do Hospital do Seridó, em Caicó, é natural de São João do Sabugi. Sulivan Medeiros nasceu em São João do Sabugi, no dia 25 de setembro de 1940, sendo filha de Xisto Quintino de Medeiros e Joana Massilon de Medeiros.
Do casal, nasceram nove filhos e aqui viveram até o ano de 1949. A partir daí moraram em Macaíba (RN), Souza (PB), Jucurutu (RN), Currais Novos (RN), Mina do Bonito e finalmente, Caicó.
Em 1962, Sulivan Medeiros estava com 22 anos e dedicou-se ao trabalho como costureira; trabalhando no ateliê das “Deodatos”. Nesse mesmo ano dedicou-se a capela de São José, hoje Paróquia, como catequista ao lado de Irmã Melânia e outras religiosas.
Em 1965 passou em concurso para trabalhar no SESP, dedicando-se de corpo e alma aos trabalhos de copeira na cozinha daquela Casa de Saúde.
Em 1969 com a implantação da Fundação Dr. Carlindo Dantas, Sulivan Medeiros foi convidada pelo Dr. Vivaldo Costa para trabalhar na pediatria ao lado de Dr. Valdemar Cordeiro Filho.
A partir daí dedicou sua vida aquela casa de saúde onde trabalhou no berçário e no centro cirúrgico, auxiliando médicos e parteiras; terminando seu trabalho como administradora na cozinha do hospital.
Nas horas vagas, Sulivan se dedicava aos trabalhos voluntários na comunidade caicoense, verificando pressão arterial, aplicando soro e injeção, dormindo em casa de pacientes, acompanhando a consultas médicas e fazendo curativos.
Algumas pessoas relatam que muitas vezes Sulivan angariava recursos e donativos para pessoas carentes que se internavam no Hospital do Seridó.
Em 19 de janeiro de 1987 aos 46 anos após uma sessão de quimioterapia quando recebia a visita de um padre e uma freira, Sulivan Medeiros faleceu sorrindo, vítima de Leucemia Aguda.
Está aqui registrado um testemunho de vida, de uma sabugiense que deixou exemplo de solidariedade e amor ao próximo, com espírito de total doação, enxergando todos como irmãos.
Anna Jailma - jornalista e blogueira

Nenhum comentário: