quinta-feira, 19 de março de 2009

Poesia, fé e sabedoria de sabugiense

...é dia de olhar para o céu
...e esperar a chuva cair no jardim e nos campos...

...é Dia de São José!


Dia de São José

As coisas do nosso passado
É herança, nos pertence
A perseverança, o amor
Força que o tempo não vence
Esperança fé e alegria
São hábitos do dia a dia
Do povo sabugiense

Quando se fala em inverno
Acreditam que Deus quer
Passa janeiro e fevereiro
O povo não perde a fé
Ficam rezando e esperando
Que março já estar chegando
E o dia de São José

Obrigado São José
Pela sua compaixão
O milagre aconteceu
Já está chovendo em São João
Peço a Deus pra nos ajudar
Para o povo acreditar
Toda força da oração

Sexta feira santa
Egydio 21.03.08

Recebi de Egydio Alves Medeiros, o Egydio Januário, esta linda poesia, que ele criou em março do ano passado; ao contemplar fotografias do inverno em São João do Sabugi, com água correndo pelo Rio Sabugi e nossa caatinga apresentando-se verde, molhada pelos pingos da chuva.
É com satisfação que publico versos de Egydio no À Flor da Terra. A poesia de Egydio é sempre bem-vinda, já que traduz sentimentos sertanejos, movidos pelo amor à terra.
Egydio Januário é dos sabugienses que saiu de São João do Sabugi, mas, São João do Sabugi nunca saiu dele.
Aproveito para anunciar a Egydio e demais visitantes do blog, que em São João do Sabugi já choveu este ano 422 mm; conforme dados da Emparn.
Hoje, o sertanejo olha observador para o céu, buscando o anúncio de inverno e boa colheita; com formação de chuva nas nuvens. É dia de São José e , coincidência ou não, é dia de chuva no meu Seridó!


Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto de São José: site das irmãs beneditinas
Demais fotos ilustrativas: autoria desconhecida

2 comentários:

ze alencar disse...

Poesia, fé e sabedoria de sabugiense.

Que bom é ver as manifestaçoes dos conterrâneos através da Poesia.Não sou nenhum poeta, no entanto, admiro os que o são. As vezes tenho a ousadia de fazer algumas trovas, tais como esta, que falam de amor.
Teus gestos sensuais,
Exprimem tua beleza
Teus encantos naturais,
São obras da natureza

Estreei o meu teatro,
No palco do coração,
Desenhei o teu retrato
Na moldura da ilusão.

Jose Alencar de Medeiros Filho.
Um sabuigiense de fé.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

José Alencar,

Obrigada pela sua ilustre visita ao blog. Volte sempre.
Sua poesia é belíssima e será divulgada.