segunda-feira, 22 de junho de 2009









...Tem cabides de copos pendurados
E um curral de cachaça e de conhaque
Logo ao lado se vê carne de charque
Tira gosto dos goles caneados
Pelotões de garrafas bem fardados
Nas paredes e dentro dos caixotes
Tem rodilha de fumo dando um bote
E um trinchete enfiado num sabão
Bodegueiro despacha a um artesão
Parafuso de cabo de serrote.

(trechos da poesia Parafuso de Cabo de Serrote - de Jessier Quirino)

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

Um comentário:

Etiene dos Remédios disse...

quero esses doces...
kkkk
bjs
Etiene