sexta-feira, 21 de agosto de 2009

São João do Sabugi comemora o Folclore

Um céu colorido com Pipas...

Xilografura de Severino Borges: Serenatas pelas ruas

Foto: Auro Giuliano - Carvalhada, você conhece?!
Você já soltou pipas na infância? E cavalhada, você sabe o que é? Já assistiu, já participou? E serenatas...Quem já ganhou uma serenata numa noite enluarada ou já fez alguma para encantar alguém?!
Nesta semana em São João do Sabugi, tudo isso está sendo vivenciado pela comunidade.
As escolas do município e do Estado estão realizando a Festa do Folclore em São João do Sabugi, com programação que iniciou na última quarta-feira, dia 19, e que se estende até o próximo domingo, dia 23.
Na quarta-feira, houve Festival de Pipas no campo de futebol do bairro Ipueirinha, colorindo o céu e hoje dia 21, acontece show cultural, a partir das 18h30 no Ginásio Esportivo.
Amanhã dia 22, Dia do Folclore, a partir das 20h, acontece a noite da serenata, com voz e violão, encantando pelas ruas da cidade. Professores, estudantes e comunidade em geral acompanham os músicos e ajudam a cantarolar as músicas de outrora.
Nas residências as pessoas aguardam o grupo da serenata para reviverem os anos dourados de Fascinação, Perfídia, Fracasso, Beija-me Muito, Aline, Maria Betânia, Olhos Verdes, e tantas outras que marcaram época.
O encerramento da programação festiva acontece dia 23, no domingo, com realização da cavalhada, no Parque de Vaquejada de São João do Sabugi.
Conforme o historiador Fernando Danneman, as cavalhadas foram trazidas de Portugal, onde nos tempos antigos constituíam um complemento indispensável nas festas religiosas, políticas e guerreiras; e uma vez introduzidas no Brasil, aqui se tornaram muito populares, sendo bastante praticadas desde o século 17 até ao século 19.
Consistiam numa espécie de torneio no qual um número par de cavaleiros, geralmente doze de cada partido, mouro ou cristão, travava guerras simuladas, ou escaramuças, acompanhadas de várias provas de equitação, terminando tudo, após propostas de paz, com o aprisionamento dos mouros.
Depois seguia-se o jogo da argolinha, em que os cavaleiros, mostrando a sua habilidade no manejo da lança, tiravam o anel, ou argolinha, que estava suspenso por um arame esticado horizontalmente entre dois esteios, por onde o cavaleiro devia passar a galope.
As cavalhadas eram, antigamente, o divertimento predileto de muitas cidades brasileiras e hoje continuam integrando os eventos de muitos Estados, em especial no Rio Grande do Sul e em Goiás.
Folclore é cultura, tradição e passeio pela história de cada um e de cada recanto do mundo.
Anna Jailma - jornalista e blogueira

Nenhum comentário: