segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Palavras do Monsenhor

Um aniversário natalício é uma oportunidade que nos ajuda a fazer um exame de consciência sobre o que estamos fazendo da nossa vida e o que desejamos para nós.
E um aniversário de plena velhice é mais ainda um ensejo de refletirmos sobre o sentido da vida.
Segundo a doutrina Cristã, a morte não é um fim definitivo, mas sim uma fase de transição para a vida eterna. A morte é a hora de voltar para casa, para a casa do Pai Celeste. Essas palavras representam a visão Cristã da nossa vida presente.
Ao ensejo desta celebração, não posso deixar de refletir na grandeza da Graça que Deus me concedeu, mas também na responsabilidade que me coube no desempenho dessa missão.
A Deus agradeço o Dom maravilhoso da Vida, o Dom da Vocação Sacerdotal. E as oportunidades que ele me proporcionou ao longo dos meus dias. Ao mesmo tempo peço perdão a Deus pelas minhas omissões, negligências, falhas e culpas. "a quem muito foi dado , muito será exigido".
E peço, humilde e confiantemente, perdão ao povo de Deus pelas minhas falhas no cumprimento da minha missão. Se todos nós déssemos sempre um testemunho coerente e vivo de Fé, o Reino de Deus se dilataria mais e atingiria mais profundamente o coração das pessoas.
Tenho, pois, plena consciência de minhas limitações e lacunas, mas espero confiantemente que Deus, apesar de tudo isto, tenha cumprido os seus planos de salvação do povo a mim confiado.
Agradeço a todos o acolhimento que me proporcionaram ao longo de todo o meu Ministério Sacerdotal. Cícera Lucena, dentre outras, foi uma das grandes benfeitoras da Paróquia durante a minha gestão como Vigário. Durante mais de dez anos, ela serviu na casa paroquial e na Igreja em muitas necessidades, atividades e iniciativas.
A Cícera e também a todos e todas que colaboraram com dedicação e empenho, o meu agradecimento muito sincero. Não tenho palavras para agradecer tamanha generosidade e tantas atenções.
Meus irmãos e irmãs
O Apóstolo São Paulo pedia insistentemente aos Cristãos por ele evangelizados que orassem constantimente para que ele fosse sempre fiel à sua missão de Arauto de Cristo.
Com muito mais razão ainda, peço eu as vossas orações por mim. Alimento o desejo e a esperança de que esta celebração seja uma oportunidade para a revalorização do Sacerdócio na nossa consciência de Cristãos.
O que importa não é a valorização individual do Padre. O essencial é a consciêntização do valor do Sacerdócio como tal, a revalorização da missão que Deus confiou a seus enviados.
Muito obrigado pela presença e pela solidariedade de todos os que aqui compareceram.
Que Deus nos torne mais fervorosos na Fé e mais sinceros no Amor Fraterno e Cristão.
Mons. João Agripino Dantas

Palavras dirigidas aos presentes na Missa de Ação de Graças pelo seu natalício, no dia de ontem, em São João do Sabugi RN

Nenhum comentário: