quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Encontro da Música com a Filosofia...


O filho de Ipueira, Tarzan Leão de Sousa, residente em Paracatu, Minas Gerais, é referência em Minas quando o assunto é cultura; sobretudo tratando-se de artes.
Tarzan Leão é bacharel em
Filosofia, professor e escritor, membro da Academia de Letras do Noroeste de Minas.
Sobre o mais novo CD de Urbano Medeiros - Música do Vale do Sabugi - Tarzan transcreveu nas letras a emoção sentida pela música que brota dos sertões potiguares e paraibanos. Um texto brilhante, uma viagem as raízes do Vale do Sabugi através das palavras sentidas de Tarzan, ao som da música de Urbano Medeiros.
Leia o texto sentindo o encontro do filósofo com o músico...

Anna Jailma - jornalista e blogueira.

Com a palavra, Tarzan Leão de Sousa:


"Urbano volta ao Vale do Sabugi, e isso nos faz muito bem.
Acabo de receber o novo CD de Urbano Medeiros, “A música do Vale do Sabugi”. Não faz muitos dias que ele havia me telefonado falando desse novo trabalho, mas, advertiu-me que é “um disquinho desnudo, onde quero apresentar a música pobre do Vale do Sabugi”. De fato, o material gráfico é pobre, velhas fotos desbotadas, esverdeadas até. Mas, basta ouvir a primeira faixa, para sermos surpreendidos.
Porém, antes de falar do disco, e, a título de contextualização, o Vale do Sabugi compreende uma área que abrange os sertões do Rio Grande do Norte e Paraíba, englobando umas duas dezenas de cidades. Região preferida por ciganos, beatos e cangaceiros, em tempos idos. Frei Damião, o missionário capuchinho italiano, tinha uma predileção especial por esse imenso e seco vale. Aliás, a toponímia do Vale do Sabugi se assemelha muito à Palestina do tempo de Jesus, razão pela qual muitos cristãos novos, fugindo das perseguições que lhe infligiam na Península Ibérica, escolheram o vale para ali assentarem morada: os Oliveiras, Pereiras, Medeiros, Leões e tantos outros marranos, muitos dos quais já perdidos nos livros de genealogias, são seus descendentes diretos. Urbano nasceu às margens do rio Sabugi, no sopé da Serra do Mulungu, em São João do Sabugi.
Estruturalmente falando, “A música do Vale do Sabugi” nada tem a ver com “Orando com Efrém da Síria”, primeiro CD de Urbano. Se, em Efrém da Síria, ele volta às nossas origens cristãs, em A música do Vale do Sabugi Medeiros nos remete às suas raízes sertânicas, catingueiras por assim dizer. De fato, o disco é desprovido de qualquer sofisticação eletrônica. As melodias são pré-gonzagueanas, nos remetendo para um período quando o sertão conhecia apenas o fole de 8 baixos e a música instrumental era bem mais aceita e difundida. Eu mesmo, menino, fui a esses sambas, tocados pelos meus tios Chatu e Jó Balcão, Chico Véi e outros tantos forrozeiros. Xotes, baiões, pagodes, xaxados, todos eles executados magistralmente por Urbano que, na maioria das canções, toca todos os instrumentos. Urbano e seu inconfundível saxofone. O melhor sopro que já ouvi. E ele está de volta, em visita ao mitológico Vale do Sabugi.
São onze canções sertanejas, onde também se faz presente uma forte influência cigana. Ali, naquelas paragens, periodicamente éramos visitados por ciganos e retirantes, todos eles fugindo das grandes secas que frequentemente assolavam e ainda castigam o sertão nordestino. Em “A música do Vale do Sabugi” Urbano desce – e descer aqui tem um sentido de profundidade, de ir ao fundo do poço buscar a última cuia de cristalina água – às mesmas e benfazejas fontes que o fizeram conceber “Orando com Efrém da Síria”: o coração humano, fonte última donde emana toda a arte.
A ideia inicial de Urbano era batizar o CD de A música pobre do Vale do Sabugi. Consultado, sugeri que retirasse o adjetivo pobre. E eu estava certo. Não há nada de pobre neste CD. A arte, quando verdadeira, jamais será pobre, ainda que concebida sem sofisticações eletrônicas e desnuda de grandes e mirabolantes projetos gráficos. Um disco vale pelo que se ouve. E escutar “A música do Vale do Sabugi” me fez muito bem."

[Tarzan Leão de Sousa]

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

NOTAS DO DIA

SEMINÁRIO
Acontece domingo a inauguração da nova sede do Seminário Santo Cura Dars, localizada dentro do Complexo Religioso; onde também está Betfagé, residência oficial do bispo diocesano e o Centro Pastoral Dom Wagner.
O novo prédio conta com dormitórios, sala oração, sala de estudos, cozinha, refeitório e outras dependências.
A inauguração acontece junto a posse do novo reitor, Padre Fabiano Dantas, pároco em São José do Seridó.

Urbano Medeiros em apresentação na TV Canção Nova

URBANO MEDEIROS - O músico Urbano Medeiros está no Seridó lançando seu novo CD intitulado de “Música do Vale do Sabugi”. No CD consta o xote pé-de-serra, o toque da música cigana, e homenagens que abrangem o Vale do Sabugi na Paraíba – citando São Mamede e Santa Luzia – e pessoas que marcaram a vida de Urbano em São João do Sabugi, RN.
Em “Música do Vale do Sabugi” é retratada a Serra do Mulungu e no texto que apresenta o CD, o músico fala nas suas raízes e raízes de outros povos que influenciam sua forma ímpar e diferenciada de fazer música pelo mundo.

AGORA

Na próxima terça-feira acontece lançamento do Portal Seridó Agora, de Caicó.
O mais novo portal de notícias do Seridó é idealizado pelos jornalistas Gláucia Lima e Danilo Elias; que prometem destacar notícias atualizadas, charges políticas e entretenimento.
A empresa de webdesigner de Natal, Ponto Criativo, foi responsável pela criação do Portal Seridó Agora e na próxima terça-feira, dia 26, a imprensa seridoense vai se fazer presente na ADESE, num pré-lançamento do portal.
A estréia acontece dia 10 de fevereiro, contando com cobertura completa sobre o Seridó e já dando destaque ao período carnavalesco na região.


CARNAVAL DE CAICÓ - Aconteceu hoje em Caicó o lançamento oficial da programação do Carnaval de Caicó, na capital do Estado.
O prefeito de Caicó Bibi Costa e o presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística Cláudio Porpino, lançaram a programação já anunciando a abertura para dia 10 de fevereiro, na quarta-feira. Então, está confirmado: 10 de fevereiro é dia do Bloco do Magão e Orquestra de Frevo nas ruas levando folia; e na Ilha de Sant’Ana a festa começa Capilé e Banda, Marquinhos Carreira e Sakulejo.
O carnaval de Caicó cresce a cada ano principalmente o popular carnaval de rua que conta com Bloco do Magão, Treme-Treme, Troça do Ferreirinha e Troça do Caldo.
Vários veículos de imprensa da capital, prestigiaram o café da manhã de lançamento do Carnaval de Caicó, garantindo cobertura completa para todo o Estado.

ILHA DE SANT'ANA
Finalmente o Complexo Turístico Ilha de Sant'Ana está em pleno funcionamento, com quiosques funcionando todas as noites; levando o melhor da nossa gastronomia e apresentações de artistas da terra com o melhor da música. E quem está preparando o físico para o agitado carnaval, pode se render a caminhada ou ginástica.
Eu prefiro as batatas recheadas do quiosque Barril com camarão ou carne-de-sol...Delícia de vida!


A empresária sabugiense Gláucia Costa é destaque em "Gente que Abala"

ABALA - Juca Bala acaba de lançar a 5ª edição de seu jornal “Abala” que vem fazendo estremecer as festas sociais de Caicó. O “Abala” traz colunas sobre cinema, moda e estilo, o melhor do twitter, cobertura completa sobre festas e eventos; com fotografias e notas que dizem tudo. E causando aquela disputa entre os estilosos e fashions, o jornal conta com o espaço – disputadíssimo - “Gente que Abala”; que nesta edição trouxe a sabugiense Gláucia Costa, gerente da La Femme Lingerie de Natal.
O jornal tem distribuição gratuita abrangendo empresas, consultórios, lojas e principais points de Caicó. Se fazer presente e anunciar no “Abala” é um verdadeiro “chega pra lá” no anonimato com o conteúdo diferenciado dos demais impressos da região e circulação disparada – e garantida - em toda Caicó.
O caminho não tem erro: aparecer no Abala é o ponto de partida e fazer acontecer com sucesso é o ponto de chegada.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Vem aí a Troça do Ferreirinha...

Eu e Ferreirinha, nos 50 anos do Bar de Ferreirinha, em julho de 2009

O Bar de Ferreirinha tem como destino o sucesso. Por lá existe uma espécie de "Toque de Midas" - tudo que tocam vira ouro, brilha, é sucesso! E não poderia ser diferente porque o Bar do Ferreirinha reúne diferenciais; inclusive atrai até quem não bebe.
Para frequentar, um requisito é indispensável - ter um bom-papo e a mente aberta. Gente briguenta por lá não tem vez e nas rodas de bate-papo entra de boas piadas a política.
No ano passado o Bar do Ferreirinha completou 50 anos e a festa foi grandiosa, reunindo caicoenses e visitantes no dia 26 de julho - bem no dia de meu aniversário - com muita música, confraternização e claro, os famosos tira-gostos e bebidas do Bar do Ferreirinha. Mas a festa não parou por aí: depois veio o lançamento do blog Bar de Ferreirinha, que traz irreverência, inteligência e bom humor, numa salada de letras, charges, fotografias, músicas e muita história pra contar. Depois o bar transformou-se em livro com o lançamento do Albúm Bar de Ferreirinha, que reúne fotografias e histórias destes 50 anos de existência e agora no carnaval, o Bar de Ferreirinha vai às ruas com a Troça do Ferreirinha.
Na Troça do Ferreirinha os grandes frevos carnavalescos vão marcar presença e a troça promete reunir personagens das histórias que circundam o Bar do Ferreirinha, músicos da terra, eternos visitantes do bar, o próprio Ferreirinha - a estrela maior - e foliões de Caicó e do mundo inteiro.
Eu não sou "vidente" mas vejo para o "Bar de Ferreirinha" um tempo de crescimento constante. Posso até imaginar que em breve, o Bar já vai dispor de camisetas variadas, canecas, canetas, bonés, cumbucas e mais um monte de coisas devidamente personalizadas com charges das histórias do Bar de Ferreirinha. E quando os visitantes da Festa de Sant'Ana e do Carnaval chegarem a Caicó vão levar o Bar nas malas e mochilas, como lembrança para os amigos e familiares.
O Bar de Ferreirinha tem vínculo com a história de vida do povo caicoense. E um laço assim, não desata nunca; é como uma árvore frondosa que gera frutos, muitos frutos, por décadas e décadas...
Anna Jailma - jornalista e blogueira


O Bar de Ferreirinha em mil cores...




Música da Troça: O Bar do Ferreirinha
Letra e música: Djalma Mota


"O Salvador" é tradição
Presente na nossa memória...


Repete:


Na calçada da alegria
A boemia
Escreve o nome na história.

Simplicidade
Simpatia, acolhimento
Sempre o bom atendimento
E a grande satisfação...
Perseverança
Em manter a mesma linha
Faz do Bar do Ferreirinha
Um ponto de diversão.


Repete:


Jogar conversa fora
E tomar uma cervejinha
No Bar do Ferreirinha
A freqüência é popular...
Ouvir a boa prosa
E tomar uma cachacinha
O Bar do Ferreirinha
Tem história pra contar...

NOTÍCIAS DE BRASÍLIA DF


Violência contra educadores pode virar crime sujeito a detenção
Tramita na Câmara o Projeto de Lei 6269/09, do deputado Rodrigo Rollemberg, do PSB-DF, que criminaliza a agressão contra professores, dirigentes educacionais, orientadores e agentes administrativos de escolas.
A pena prevista é detenção de um a quatro anos, nos casos de agressão física, e detenção de três a nove meses ou multa, nos casos de agressão moral. A proposta altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40), na parte que trata do crime de desacato ao funcionário público.
O texto equipara o professor de escola pública ou particular a agentes públicos, para que seus agressores possam ser punidos conforme prevê a legislação brasileira.
Se o agressor for menor de idade, deverá cumprir as penas estabelecidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90).
O projeto será analisado pelas comissões de Educação e Cultura; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votado pelo Plenário.


[ Agência Câmara]


Do blog: Pode até demorar, mas o projeto vai ser votado e tomara que seja aprovado. Os educadores merecem o devido respeito e valorização, neste país. Já não basta o salário mal remunerado e mal pago - as vezes precisando fazer greve para receber em dia - e ainda são submetidos a agressões verbais e as vezes físicas, dentro do próprio trabalho. É preciso um basta.


Anna Jailma - jornalista e blogueira

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Encontro com a Serra do Mulungu

Recebi hoje o relato emocionante de Egydio Medeiros, residente em São Paulo, sobre um encontro dele e seus familiares com a Montanha Mulungu.
Egydio descreve a Serra do Mulungu priorizando o sentimento de fé que está interligado na montanha, através da presença do Cruzeiro e compara a serra sabugiense com uma rainha de vestido bordado de verde; rainha que ele chama de Rainha da Paz, por transmitir a cada encontro este sentimento de paz e harmonia.
À Egydio, meu muito obrigada por compartilhar sua emoção de sabugiense com o blog À Flor da Terra.
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto - Anchieta França




"A Serra do Mulungu está localizada no município de São João do Sabugi-RN. É o marco nº 1 da nossa cidade, todos a admiram e quem está longe a ama com fervor, pela sua mistificação e majestosa beleza.
Quando algum poeta da terra tenta descrevê-la, pensa sempre na sua forma do relevo, pensam no M que aparece em seus contornos. Eu vou tentar descrevê-la pelo aspecto da fé e sentimento religioso, pois no seu pico mais alto está colocado um cruzeiro que representa a cruz onde Jesus foi crucificado. Quantos sabugienses sobem à serra para fazer suas penitencias por graças recebidas...
Segundo o pesquisador Edgar Brito de Medeiros, quem colocou o 1º cruzeiro foi o saudoso, Virgílio Carlos de Medeiros, da Volta do Rio, no ano de 1926; acompanhado do padre Natanael Ergias de Medeiros e alguns músicos da Banda Prefeito Nelson de Farias, atualmente, Filarmônica Honório Maciel. Comprovando assim seu sentimento era de fundo religioso.
Eu a tenho como a figura de uma rainha, que caminha arrastando seu véu em direção da cidade.
Para quem a ver da cidade, parece um vestido branco bordado de verde, pelas marcas da vegetação nos tempos de inverno. É sem dúvida um verdadeiro encanto.
Quando subimos juntos, éramos seis irmãos e uma sobrinha. Edmundo, Edvaldo, Eudes, Eufrásio, Elisa, a sobrinha Juliana e eu, assistimos a um espetáculo misterioso: a sombra da serra cobrindo a cidade, como se fosse um manto protetor aos nossos queridos sabugienses e a cada minuto se abrindo como uma cortina imaginária, clareando e fazendo a cidade brilhar; numa verdadeira demonstração de carinho para nossa gente .
Temos isso documentado em fotos datadas de 22 de junho de 2005. É um verdadeiro espetáculo, pois, num piscar de olhos avista-se lá de cima quase todos os lugares onde passamos a nossa infância; cada um querendo identificar suas descobertas, as serras, as cidades, os sítios dos nossos entes queridos, os açudes, enfim, tudo parecia milagre, eram tantas emoções...Só estando lá para crer.
Por essas e outras razões eu queria denominá-la, Rainha da PAZ.
Não posso pensar a seu respeito apenas como um acidente geográfico, ou um ser inanimado, e sim como um esplendor da natureza, para nossos olhos."

Egidio Alves de Medeiros

São Paulo, SP

Love Story


Eu li o livro Love Story de Erich Segal na minha adolescência – faz tempo! – e assisti o filme na “Sessão da Tarde” da Rede Globo, várias vezes. O filme é imortalizado pela frase "amar é nunca ter que pedir perdão”.
Anos mais tarde a música Love Story marcou também por lembrar minha saudosa tia Nilce. Em 2005 quando vim de férias a São João do Sabugi, trouxe pra ela uma espécie de caixinha de música, onde um instrumento musical rodopiava ao som de Love Story.
Foi o último presente que dei a Dissa e ela adorou. Meses depois ela partiu para o outro lado da vida.
Hoje fiquei sabendo que o escritor americano Erich Segal, conhecido internacionalmente como autor de "Love Story", morreu no domingo passado, em Londres, aos 72 anos, devido a um ataque cardíaco.
Francesca Segal, filha do romancista, informou que o pai morreu em casa, depois de conviver por muitos anos com o Mal de Parkinson, que debilitou sua saúde.
Erich Segal era professor de literatura clássica na Universidade de Yale (EUA) quando escreveu "Love Story". O livro foi adaptado para o cinema em 1970, com Ryan O'Neal e Ali MacGraw (amiga de Segal) como protagonistas; e foi indicado seis vezes ao Oscar, ganhando o de melhor trilha sonora.
Erich Segal, membro honorário da Universidade de Oxford (Reino Unido), era casado com Karen James e tinha duas filhas: Francesca, de 29 anos, e Miranda, de 20.
Jailma - jornalista e blogueira



terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Essa era Dona Sarah Kubitschek...

Estava navegando pela internet e acabei encontrando um texto de 1996, que fala sobre a personalidade de Sarah Kubitschek, esposa do Presidente Juscelino.
Encontrei o texto no site do Senado Federal. Não posso deixar de compartilhar com os visitantes do À Flor da Terra, a determinação de Dona Sarah e sobretudo a sua prudência diante dos assuntos políticos discutidos na sua residência.
Homens da política, com nervos à flor da pele, apostavam que levar ataques pessoais ao palanque era o caminho da vitória...até que surge a determinada Sarah, não admitindo ataques pessoais no palanque de seu marido. Juscelino optou pela opinião da esposa e venceu as eleições.
Boa leitura.
Anna Jailma - jornalista e blogueira




“...O interessante é que a D. Luisinha tinha duas filhas: Sarah Kubitschek e Amélia; Sarah Kubitschek, casada com Juscelino, candidato do PSD, e D. Amélia, casada com Gabriel Passos, candidato da UDN.
O fato mais interessante é que, depois que Minas entendeu que não se sabia ainda quem seria o Governador, mas já se sabia que a sogra do Governador seria a D. Luisinha, houve, então, uma reunião do PSD mineiro na casa do Presidente Juscelino Kubitschek.
Juscelino perdia alguns pontos na pesquisa, e podia-se imaginar que Gabriel Passos seria o novo Governador de Minas. Naquela reunião, o PSD discutia uma estratégia para virar a campanha nos seus últimos dias.
A reunião varava a madrugada, quando alguém mais exaltado do PSD sugeriu que a única maneira de derrotar Gabriel Passos era levantando algumas críticas que se faziam na época a respeito da sua vida pessoal. Alguns outros pessedistas o apoiaram, dizendo que efetivamente tinham que fazer aquele ataque, porque era a única maneira do PSD chegar ao poder. Começaram, então, a fazer algumas críticas de nível pessoal a Gabriel Passos. Nesse exato momento, irrompe pela sala D. Sarah Kubitschek, saindo do seu quarto, e, com a sua firmeza, disse exatamente o seguinte - como, aliás, o próprio Juscelino conta no seu livro de memórias: "Na minha casa, ninguém fala mal do meu cunhado. Está encerrada esta reunião. Juscelino, vem dormir".
A reunião terminou naquele momento. Ela não admitiu que a disputa política entre o PSD e a UDN criasse uma crise familiar e fez com que se respeitasse o nome do grande mineiro Gabriel Passos na sua casa. Juscelino apoiou àquela sua posição. A campanha chegou aos dias finais sem que aquelas críticas pessoais fossem levadas a público, e Juscelino, por uma pequena diferença de votos, acabou sendo Governador de Minas.
Essa era Dona Sarah Kubitschek.”
Fonte:

Pensando Alto...


"Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio..."

[Mario Quintana]


“Há governos que constroem viadutos para automóveis. Preferi construir viadutos para o futuro, investindo na educação das crianças”.

[Cristovam Buarque]


“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro”
[Clarice Lispector]


"Se quiser ser um homem do mundo nunca deixe de amar sua aldeia"

[João Maia]

"Investir em cultura não é caridade: é uma parceria que ajuda a projetar o Brasil internacionalmente.”

[Fernanda Montenegro]
Postagem: Anna Jailma - jornalista e blogueira

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sargento caicoense compartilha momentos vividos no Haiti

Sargento Araújo, caicoense, que está no Haiti:
"Não tem como não se emocionar"
Na manhã de hoje a Rádio Caicó AM vivenciou com os ouvintes a situação vivenciada no Haiti pelo militar do Exército Brasileiro, Sargento Araújo, que se encontra em missão naquele país.
Emocionado, o Sargento Araújo, caicoense, que está em Porto Príncipe, entrou em contato com Suerda Medeiros, ao vivo, pelo telefone, e descreveu o momento do terremoto e as cenas de devastação e tristeza que hoje prevalecem no Haiti.
O caicoense disse que no momento do terremoto, estava no acampamento, arrumando a bagagem dos militares que retornariam ao Brasil e diante do tremor da terra, a sensação era de que a terra havia se transformado numa grande onda do mar, em constante movimento.
Depois do terremoto, sua primeira reação foi verificar se havia gente no alojamento precisando de ajuda e felizmente ninguém teve ferimentos graves.
A partir disso, Sargento Araújo e colegas militares já iniciaram o trabalho de prestar os primeiros socorros, inclusive retirando as pessoas dos escombros.
Segundo ele o momento mais emocionante foi quando uma criança aproximou-se e pediu que ele a trouxesse na mala quando viesse para o Brasil, que a adotasse. “Foi de partir coração, mesmo acostumado a enfrentar todas as situações dificieis. Não tem como não se emocionar", disse o militar.
Araújo nasceu em Caicó, mas desde o ano de 1995 está lotado no Batalhão do Exercito de Caçapava, interior paulista. Até hoje seus familiares residem no bairro Boa Passagem em Caicó.
Ele espera está em Caicó reencontrando familiares, em julho deste ano.


Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto - do blog de Marcos Dantas

Sábado é dia de grande festa sabugiense

"Meu avô e mestre Manoel Felipe Nery me mostrou a verdadeira paixão que sinto pela música"
[Abá Morais - vocal, trompete e flauta na Banda Help]
Amanhã, sábado, é dia de festa muito esperada em São João do Sabugi. Não é somente baião, xote, forró e outros estilos. É sobretudo um grande reencontro de sabugienses, ao som da Banda Help, que está em São Paulo há 17 anos, na região de Campinas.
A banda conta com Josimar Morais, o Abá, sabugiense, proprietário da banda, que no palco é trompetista, flautista e ainda atua no vocal. Além dele, estão seus irmãos Batista Morais, que atua no vocal e sax, e Valdinho Morais, percussionista que já dividiu palco com Zeca Baleiro, Alceu Valença e Jair Rodrigues na terra paulista.
A Banda Help faz show amanhã, a partir das 21h, junto a banda Los Pepas, no Clube Municipal de São João do Sabugi. Em São Paulo, a Banda Help tem contratos firmados em casas de show o ano inteiro, inclusive, quando residi em Campinas SP, assisti um show da Banda Help.
Recentemente houve lançamento do primeiro DVD e em uma das apresentações, lá vem o percussionista vestido com a cara do sertão, surpreendendo pela criatividade tão própria do povo seridoense. O show é de muita alegria, espontaneidade, música e irreverência.
No DVD vemos apresentação de chorinho, baião, músicas românticas que marcaram época e outros estilos. Em São João do Sabugi, a festa não vai ser diferente. E ninguém pode perder.
A festa será marcada pela boa música da terra, que leva ao Sudeste, a marca da música seridoense.


Anna Jailma - jornalista e blogueira

BANDA HELP - 17 anos de trabalho

Abá Morais e o irmão Valdinho - levando o baião à São Paulo



Valdinho Morais, percussionista. Já dividiu o palco com Alceu Valença, Zeca Balero, Jair Rodrigues e outros consagrados da MPB.


Banda Help reunida


Banda Help em Indaiatuba - SP - Showwwwww!

Chorinho


Rangel - mais novo integrante sabugiense da Banda Help


Batista Morais, sax e vocal da Banda Help



Fotos: http://www.bandahelp.com.br/

Postagem - Anna Jailma/jornalista e blogueira

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Missão Cumprida

"O trabalho social precisa de mobilização das forças. Cada um colabora com aquilo que sabe fazer ou com o que tem para oferecer.
Deste modo, é fortalecido o tecido que sustenta a ação e cada um sente que é uma cédula da transformação do país".
[Zilda Arns]


Zilda Arns em 1991, durante visita a Equador, no Seridó do Rio Grande do Norte

Zilda Arns e Maestro Totó Medeiros, em visita a Equador, RN, quando houve entrega de instrumentos a Filarmônica Santa Cecília, fundada pela Pastoral da Criança.


Zilda Arns, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança e coordenadora nacional da Pastoral do Idoso, aqui no Brasil, morreu em terremoto no Haiti, ocorrido ontem.
Zilda Arns Neumann tinha 73 anos, era médica pediatra e sanitarista. Ela também atuava como representante da CNBB, do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
Através dos trabalhos sociais foram criadas centenas de associações produtivas, que deram aos mais carentes a possibilidade de vivenciar uma vida melhor, de alcançar novas perspectivas de vida; de não somente "sonhar" mas de realizar sonhos, de alcançar objetivos.
Zilda Arns visitou Caicó e Equador, aqui no Seridó; inclusive esteve em Equador em 1991, para a entrega de instrumentos musicais da Filarmônica Santa Cecília, que tem regência do maestro Totó Medeiros.
A Filarmônica de Equador foi fundada através da Pastoral da Criança, reunindo crianças e adolescentes carentes; retirando as crianças e adolescentes de situações de risco através da música, levando a cada uma delas a visão e a vivência de um mundo melhor. O trabalho continua e a semente plantada pela Pastoral da Criança conta hoje com 60 crianças e adolescentes; contando também com apoio da Prefeitura Municipal de Equador.
Zilda Arns por onde passou deixou marcas de paz, solidariedade e principalmente a concretização de sonhos. Ela tinha a capacidade de transformar, de “mudar o mundo”; criando não só novas esperanças mas principalmente, realizando, gerando um novo mundo na vida dos mais necessitados. E foi justamente entre eles, os mais necessitados, que ela se foi.
Que descanse em paz. A missão foi cumprida.


Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Cedidas pela Pastoral da Criança da Diocese de Caicó

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Duas pontes caíram no Sul. E do lado de cá como está?


Na região de Agudos, no Rio Grande do Sul, houve queda de uma ponte sobre o Rio Jacuí na terça-feira passada e no bairro Restinga, de Porto Alegre, houve queda de uma ponte ontem.
No acidente da terça-feira, dia 5, houve mortos e feridos, inclusive, o vice-prefeito de Agudos, Hilberto Boeck, morreu e foi sepultado hoje a tarde.
As chuvas estão chegando e no ano passado o rio Barra Nova de Caicó teve uma de suas maiores cheias. E pergunto agora: como está a ponte de Barra Nova? Pelo que sei há anos que a população cobra uma reforma, há anos que a ponte se mostra deteriorada, mas o assunto vai sendo “empurrado” com o passar dos anos. De forma concreta, nada foi feito; nada saiu do papel, ou seja, a ponte continua do mesmo jeito.
É preciso enxergar as reais necessidades da população e valorizar estas necessidades de uma forma séria, comprometida. A ponte de Barra Nova está lá a espera de uma reforma urgente, enquanto milhares de pessoas e veículos passam pra lá e pra cá todos os dias...
Por que nossos políticos insistem em gastar papel e torrar nossa paciência com criação e aprovação de projetos como o da alteração do nome do Açude Itans, de Caicó, enquanto a população clama por projetos eficazes e realmente necessários? Talvez por ser mais fácil e mais cômodo...Mas quem disse que eles foram eleitos para isso - para fazer o "fácil e o cômodo"???
Nada contra o "Ministro José Américo", atual nome do Itans, mas o nome Itans também tem sua história, inclusive, bem mais enraizada na memória e na história do povo seridoense. E cá entre nós, na boca e no coração do povo, o Itans será sempre Itans...


Anna Jailma - jornalista e blogueira

ARGH!


Percebo que ao tentar acessar o blog À Flor da Terra pelo endereço do blog – www.aflordaterra.blogspot.com - acaba-se chegando a página de informação do blogspot, que informa – em inglês – informações sobre status do blog e outros assuntos; privando o acesso as notícias.
O problema tem ocorrido comigo. Acredito que esteja havendo também com alguns visitantes.
Felizmente o erro não acontece quando acessamos através de outro blog - onde consta meu nome ou nome do blog - ou mesmo quando colocamos o nome do blog no Google, para em seguida clicar em alguma notícia do À Flor da Terra.
Estou entrando em contato com profissionais que lidam com problemas em blogs para solucionar a dificuldade.

Agradeço a paciência de todos.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

E o Oscar vai para...


Quero parabenizar publicamente Raull Ribas de Medeiros, aprovado em Odontologia na UFCG, para Patos, PB, UEPB, em Campina Grande, PB, e na UFRN, em Natal; tendo sido classificado na UFRN em 4° lugar em Odontologia.
Raull é filho do meu esposo Totó Medeiros. Durante muitas madrugadas ficou grudado nos livros, estudando para realizar o sonho de cursar Odontologia. Por diversas vezes, eu e Totó avistamos a luz acesa no quarto de Raull, as 3h30 - da manhã - e lá estava Raull, estudando.
Ele era estudante do Colégio Diocesano Seridoense - CDS - e não podemos deixar de reconhecer e agradecer o apoio e o ensino de todos que fazem aquela instituição de ensino.
Determinação é um dos pontos fortes de Raull e a dedicação aos estudos sempre foi sua prioridade. Torcemos para que continue assim: determinado, estudioso e vencedor.
Parabéns Raull! Sucesso sempre e em todos os aspectos.

Da “boadrasta”,

Anna Jailma - jornalista e blogueira

domingo, 3 de janeiro de 2010

NOTAS DO DIA

REVÈILLON EM SÃO JOÃO - O revèillon em São João continua sendo uma festa compartilhada, bem em frente a Igreja Matriz de São João Batista. Perto das 23h Ivan Gorgônio vai à Matriz com o CD que contém a tradicional canção que diz "esse ano quero paz no meu coração..." e poucos minutos depois, uma multidão começa a chegar em frente a Matriz: idosos, jovens e crianças; famílias inteiras ficam aglomeradas - algumas com champanhe - a espera do Ano Novo. Da Igreja, Ivan Gorgônio - todos os anos - transmite a mensagem de paz e inicia a contagem regressiva.
No final, fogos invadem o céu sabugiense e as pessoas se confraternizam cantando "esse ano quero paz no meu coração/quem quiser ser meu amigo/ que me dê a mão..."
E no Espaço de Eventos, a festa amanheceu com muito forró.
DECORAÇÃO NATALINA - Em São João há diferentes opiniões sobre as árvores da decoração natalina, da Prefeitura Municipal, que amanheceram caídas dia 25 de dezembro. Enquanto alguns acreditam que realmente o estrago foi provocado por vandalismo, outros defendem que as árvores simplesmente não suportaram o peso e acabaram caindo na madrugada. Mas a decoração da Praça Frei Damião - em frente a matriz - e da Praça Antônio Quintino de Araújo continuam fazendo a festa dos visitantes e filhos da terra.


CHUVA BOA - Na chegada do Ano Novo, logo ao anoitecer de 31 de dezembro, uma chuva generosa banhou algumas cidades do Seridó e São João do Sabugi foi privilegiada. Cheguei lá a noite e a cidade estava molhada, com aquele frio gostoso que a chuva traz no sertão. Na madrugada do dia 02 de janeiro não foi diferente: mais chuva e chuva boa, que faz aquele barulho bom na telha e leva todo mundo a buscar aquele "fundo de rede" que virou lençol, para se aconchegar no frio...E o rio Sabugi ainda amanheceu com as primeiras águas de 2010 a molhar a areia. O ano novo promete boas chuvas, boas colheitas!


BANDA HELP - A expectativa entre os sabugienses é grande para a festa com a banda Help, prevista para 16 de janeiro. A Banda Help é formada por sabugienses, residentes em Hortolândia, no Estado de São Paulo; como Abá, Valdinho, Rangel, Batista e outros profissionais da música em São Paulo. Recentemente eles lançaram um DVD com show realizado na terra paulista, onde levam todos os estilos ao palco, agradando "gregos e troianos". Certamente a banda Help fará um grande show para o povo sabugiense.


Anna Jailma - jornalista e blogueira