sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Duas pontes caíram no Sul. E do lado de cá como está?


Na região de Agudos, no Rio Grande do Sul, houve queda de uma ponte sobre o Rio Jacuí na terça-feira passada e no bairro Restinga, de Porto Alegre, houve queda de uma ponte ontem.
No acidente da terça-feira, dia 5, houve mortos e feridos, inclusive, o vice-prefeito de Agudos, Hilberto Boeck, morreu e foi sepultado hoje a tarde.
As chuvas estão chegando e no ano passado o rio Barra Nova de Caicó teve uma de suas maiores cheias. E pergunto agora: como está a ponte de Barra Nova? Pelo que sei há anos que a população cobra uma reforma, há anos que a ponte se mostra deteriorada, mas o assunto vai sendo “empurrado” com o passar dos anos. De forma concreta, nada foi feito; nada saiu do papel, ou seja, a ponte continua do mesmo jeito.
É preciso enxergar as reais necessidades da população e valorizar estas necessidades de uma forma séria, comprometida. A ponte de Barra Nova está lá a espera de uma reforma urgente, enquanto milhares de pessoas e veículos passam pra lá e pra cá todos os dias...
Por que nossos políticos insistem em gastar papel e torrar nossa paciência com criação e aprovação de projetos como o da alteração do nome do Açude Itans, de Caicó, enquanto a população clama por projetos eficazes e realmente necessários? Talvez por ser mais fácil e mais cômodo...Mas quem disse que eles foram eleitos para isso - para fazer o "fácil e o cômodo"???
Nada contra o "Ministro José Américo", atual nome do Itans, mas o nome Itans também tem sua história, inclusive, bem mais enraizada na memória e na história do povo seridoense. E cá entre nós, na boca e no coração do povo, o Itans será sempre Itans...


Anna Jailma - jornalista e blogueira

2 comentários:

Cláudia Queirós disse...

Parabéns pela matéria Anna Jailma! A ponte do rio Barra Nova, há muitos anos está uma vergonha e um risco para a população. Mas tal descaso acontece pq os polícos não caminham pelas cidade, não,poem suas vidas em risco... eles voam pelas ruas da cidade com os seus carros,trancados, setindo o potente ar que deve ser para refrescar suas consciências. Ninguém fala do que não conhece. E infelizmente os políticos naão conhecem a realidade do povo. Portanto não existe!
Sou paraibana e até fico feliz por lembrarem dos grandes feitos do honrado Minitro José Américo de Almeida que fez história na políca do Brasil, mas tenho certeza que ele comopolítico trabalhador e homem honrado, ficaria muito mais feliz se o caos da cidade fosse ordenado.
Mas as eleições estão chegando e cada povo tem os governantes que querem ter. Mais uma vez parabén pela matéria e que venham outras para o bem do povo caicoense. Denunciar é ser cristão.

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Cláudia obrigada pelo comentário enriquecedor!
Antigamente havia a famosa "indústria da seca" quando os políticos se usufruiam da seca para conseguir mais dinheiro para seus municípios e pouco se fazia para os necessitados. Era o tempo das cestas básicas e planos de emergência. Agora temos a indústria dos alagamentos, das pontes caídas, da gripe suína...Mas como você bem disse: este é ano de eleição, ano de dar o troco!