terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Essa era Dona Sarah Kubitschek...

Estava navegando pela internet e acabei encontrando um texto de 1996, que fala sobre a personalidade de Sarah Kubitschek, esposa do Presidente Juscelino.
Encontrei o texto no site do Senado Federal. Não posso deixar de compartilhar com os visitantes do À Flor da Terra, a determinação de Dona Sarah e sobretudo a sua prudência diante dos assuntos políticos discutidos na sua residência.
Homens da política, com nervos à flor da pele, apostavam que levar ataques pessoais ao palanque era o caminho da vitória...até que surge a determinada Sarah, não admitindo ataques pessoais no palanque de seu marido. Juscelino optou pela opinião da esposa e venceu as eleições.
Boa leitura.
Anna Jailma - jornalista e blogueira




“...O interessante é que a D. Luisinha tinha duas filhas: Sarah Kubitschek e Amélia; Sarah Kubitschek, casada com Juscelino, candidato do PSD, e D. Amélia, casada com Gabriel Passos, candidato da UDN.
O fato mais interessante é que, depois que Minas entendeu que não se sabia ainda quem seria o Governador, mas já se sabia que a sogra do Governador seria a D. Luisinha, houve, então, uma reunião do PSD mineiro na casa do Presidente Juscelino Kubitschek.
Juscelino perdia alguns pontos na pesquisa, e podia-se imaginar que Gabriel Passos seria o novo Governador de Minas. Naquela reunião, o PSD discutia uma estratégia para virar a campanha nos seus últimos dias.
A reunião varava a madrugada, quando alguém mais exaltado do PSD sugeriu que a única maneira de derrotar Gabriel Passos era levantando algumas críticas que se faziam na época a respeito da sua vida pessoal. Alguns outros pessedistas o apoiaram, dizendo que efetivamente tinham que fazer aquele ataque, porque era a única maneira do PSD chegar ao poder. Começaram, então, a fazer algumas críticas de nível pessoal a Gabriel Passos. Nesse exato momento, irrompe pela sala D. Sarah Kubitschek, saindo do seu quarto, e, com a sua firmeza, disse exatamente o seguinte - como, aliás, o próprio Juscelino conta no seu livro de memórias: "Na minha casa, ninguém fala mal do meu cunhado. Está encerrada esta reunião. Juscelino, vem dormir".
A reunião terminou naquele momento. Ela não admitiu que a disputa política entre o PSD e a UDN criasse uma crise familiar e fez com que se respeitasse o nome do grande mineiro Gabriel Passos na sua casa. Juscelino apoiou àquela sua posição. A campanha chegou aos dias finais sem que aquelas críticas pessoais fossem levadas a público, e Juscelino, por uma pequena diferença de votos, acabou sendo Governador de Minas.
Essa era Dona Sarah Kubitschek.”
Fonte:

3 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia estava a procura de algo a mais sobre esta mulher, e cada vez q descubro algo , ela é de uma carater: simples, firme e muito direita com seus principios.
É uma pena q nao exista muitas coisas q fale sobre esta mulher de forca e de respeito.
Gostei muito do seu texto.
Abraço

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Anônimo, que pena que não deixou seu nome aqui...
Obrigada pela visita e volte sempre.
Dona Sarah é um exemplo eterno da força da mulher.

braz disse...

falar de uma pessoa como da sara e um orgulho para qulquer cidao brasileiro melhor ainda sendo seu conteraneo conhe parte da estoria de sua vida politica e vi muitas pessoas chorarem por ele ja imaginou se tivesimos em nossa querida patri brasil 10% de pessas com a emvergadura e o cerater de da sarha seriamos muito felises que deus elumine a familia kubistichek