domingo, 19 de setembro de 2010

HOMENAGENS

Fotografias que fazem história...

A emoção falando mais alto...


Ex-aluno Patrício, que provocou lágrimas e risos na turma, relembrando momentos da banda de música

Jornalista Carlos Cavalcante, filho do patrono da filarmônica, José Raimundo Cavalcante; homenageando a banda de música
e os que integram sua história

Ex-aluno, Prof. Evanilson, destacando a importância da filarmônica e homenageando maestro Totó Medeiros

Delma Ribeiro e Erinaldo cantando "Canção da América"

A grande família reunida no almoço




Tenente Alcione, ex-aluno, fazendo homenagem ao maestro Totó Medeiros, em nome da turma
"Querido mestre,

Nossos ouvidos, olhos, corações e mentes estão em festa. Tê-lo novamente perto de nós representa um momento muito especial. O simples fato de vê-lo aqui nos causa enorme satisfação. Isso porque o senhor deixou marcas profundas em nosso caráter, já que foi responsável por nos repassar valores e ensinamentos que formaram nossa personalidade.
Durante todo o tempo em que convivemos, aprendemos com o senhor muito mais do que decifrar partituras. A música serviu apenas de pretexto, para que construíssemos uma sólida e sincera amizade. De simples adolescentes que éramos, quando do surgimento da Banda José Raimundo Cavalcante, transformamo-nos em homens e mulheres que, apesar de todas as imperfeições que temos, peculiares a cada ser humano, aprendemos a dar o merecido valor a um profissional talentoso, a um mestre competente, a um amigo presente e fiel.
Com o passar do tempo, a Banda de Música acabou tornando-se uma segunda família para todos nós. E, nesse lar harmonioso e feliz, o senhor foi como um pai. Nessa condição, sempre soube dosar carinhos e reprimendas. As aulas que ministrava, ao passo que nos introduzia no mundo mágico da música, revelavam um maestro digno do nome e da fama que para Jardim trouxe, vindo de sua terra natal, São João do Sabugi.
Caríssimo mestre Totó, naqueles marcantes dias em que convivemos, fomos muito felizes e tínhamos consciência disso. Todos nós, primeiros integrantes da Banda, sabíamos que vivenciávamos um momento histórico, que marcaria para sempre nossas vidas. Éramos, sem sombra de dúvida, um grupo especial, liderado por um virtuoso da música, que extrapolou sua condição de professor e acabou por se tornar um pai para uns, um irmão para outros, um ídolo para todos.
Infelizmente, como disseram Tom e Vinicius, “felicidade tem fim”. Tivemos de nos separar. O senhor foi plantar sua sabedoria em outros lugares. Nós, vimo-nos a necessidade de enfrentar a luta diária pela sobrevivência. Fomos, paulatinamente, deixando a Banda. Alguns se casaram e tiveram filhos. Outros mudaram de cidade. Novinha, para nosso imenso pesar, partiu para a vida eterna.
Olhando para nossos rostos agora, percebe-se o quanto mudamos. Os anos nos trouxeram rugas, cabelos brancos e ralos e alguns quilos a mais. O tempo só não conseguiu, querido mestre, mudar nosso sentimento em relação ao senhor. Por mais que vivamos, onde quer que moremos, nós jamais o esqueceremos. Seu nome, seu semblante, seus ensinamentos, estão marcados profundamente em nossos sentidos. Sempre que ouvirmos um acorde, recordaremos aqueles dias incríveis. Sempre que virmos a Banda de Música passar, veremos o senhor à frente dela. Sempre que nosso coração bater, lembraremos que tivemos a imensa honra de havermos sido seus alunos.
Muito obrigado, pai, irmão, mestre e maestro Totó."

[ Mensagem lida pelo Tenente Alcione, em nome da turma de ex-alunos do maestro Totó ]
Fotos/Postagem: Anna Jailma - jornalista e blogueira

Um comentário:

Jackislandy e Silmara disse...

Que bom rever a turma de Jardim de Piranhas com a qual convivi muitos anos. O amigo Evanilson... Lembro-me quando Totó chegou para dar aulas ao pessoal de Jardim. Foi um ganho cultural enorme pro lugar. Vejo hoje o legado que esse músico deixou. Sei a marca do trabalho deixado por ele. Maravilha rever meus colegas de Jardim. Primo Geraldo ali no teclado, enfim, meu abraço a todos. Tô indo lá no final do ano, viu Jailma...