terça-feira, 26 de outubro de 2010

FEIRA DO LIVRO - O Prazer da Leitura

"Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história."
[Bill Gates]



A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde.
[André Maurois]

Tributo ao Livro
[Poeminha do Prazer]
O sumo prazer humano
Sente o ser que é seduzido
Não apenas pela leitura
Mas, sobretudo, pelo livro
Porque o livro é o corpo
E a leitura, o espírito
[Bruno Bezerra]

Viajar pela leitura
[Clarice Pacheco]
Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça na imaginação!



Postagem/Fotos - Anna Jailma

FEIRA DO LIVRO - Artesanato


Tânia Belo - artesã gaúcha, fazendo sucesso no Seridó
Quem me conhece sabe, adoro artesanato. Na Feira do Livro deste ano tive a grata surpresa de conhecer a arte diferente, "estilosa", de Tânia Belo, uma gaúcha da gema, que veio do Rio Grande do Sul para o Rio Grande do Norte, trazida pela mão de um pequeno gigante: seu neto de 2 anos.
O genro de Tânia Belo, Professor Lourival, veio para UFRN. Consequentemente vieram Mônica, esposa dele e professora de dança no CDS, o filho do casal, e a avó Tânia; que segundo ela, veio para ficar com o netinho, maior paixão de sua vida.
Tânia chegou em Caicó no primeiro dia de Carnaval, neste ano, e já se deixou levar pelo Bloco do Magão. Fez a festa em Caicó no passo do frevo, adora Caicó e sua arte faz sucesso por aqui. Colares, terços bem artesanais (dentro de caixinhas cobertas com tecidos), brincos, pulseiras, tudo num estilo hippie chic de ser. Crochès, fuxicos, bonequinhos, palhaços, flores, miçangas, tecidos coloridos, pedras, tudo vira arte bonita de se ver, pelas mãos de Tânia.
Um diferencial é que Tânia gosta de fazer pesquisa antes de realizar novos trabalhos. Recentemente ela criou broches baseados em fotografias antigas de sua mãe, reproduzindo acessórios de ontem, com peças de hoje. Uma beleza!
Além de artesã e avó dedicada, Tânia Belo é uma pessoa de riso franco, que transmite alegria de viver. Parabéns pelo seu trabalho e seja muito bem-vinda ao Seridó!
Contato com o trabalho de Tânia: (84) 9944-0986
Anna Jailma - jornalista e blogueira

FEIRA DO LIVRO DO SERIDÓ - Circo da Luz!

Circo da Luz na Feira do Livro

Nós do Projovem - iluminados pelo Circo da Luz!

Enquanto a Filarmônica Recreio Caicoense se apresenta,
o povo dança!



Moacy Cirne e Abimael Silva - fazendo acontecer no palco

Na noite de quinta-feira, 21, o Circo da Luz, da Feira do Livro do Seridó, trouxe Moacy Cirne e Abimael Silva. Fui à Ilha de Sant'Ana como Orientadora Sócio-Educacional do Projovem Adolescente, junto a outras orientadoras e adolescentes do Projovem.
Para minha alegria tive a oportunidade de conhecer de perto o escritor Abimael Silva, também proprietário do famoso Sebo Vermelho, de Natal, que funciona na Avenida Rio Branco. Abimael já editou 200 títulos sobre o Nordeste e era justamente sobre a literatura que fala e registra o Rio Grande do Norte, que ele estava falando no Circo da Luz. Foi cobrado o interesse dos nossos gestores pela nossa história, nossos registros, o mundo "potiguar", nossas raízes.
Dividindo o palco com Abimael, estava o grande Moacy Cirne, poeta, artista visual e professor-aposentado do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense, considerado o maior estudioso brasileiro das histórias em quadrinhos.
Moacy Cirne é de São José do Seridó mas há décadas reside no Rio de Janeiro. Para minha satisfação ouvi de Moacy: "você eu estou reconhecendo...do blog!" Adorei conhecer Moacy, que mesmo há anos no Rio, conserva um jeito todo seridoense de ser e demonstra preocupação com o desenvolvimento da nossa juventude, com o espaço que é dado a leitura, a cultura do Seridó.
Depois de Moacy Cirne e Abimael Silva, o palco do Circo da Luz abraçou a Filarmônica Recreio Caicoense, que fez a festa para o público. Enquanto a banda tocava, o povo dançava - e muito! Isto é Seridó! E eu amo tudo isso!
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

FEIRA DO LIVRO - Capoeira

Capoeira, luta...

Capoeira, dança...

Capoeira, tradição...

Na quinta-feira a noite, a Capoeira reinou na Ilha de Sant'Ana. Os passos remetem as senzalas, e ao som do berimbau os capoeiristas fazem movimentos que unem dança e luta, ritmo e defesa, esporte e tradição, arte e cultura.

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma




Capoeira, arte e cultura



"...Os senhores de engenho proibiam os escravos de praticar qualquer tipo de luta. Logo, os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança.
Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros. A prática da capoeira ocorria em terreiros próximos às senzalas (galpões que serviam de dormitório para os escravos) e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a manutenção da saúde física.
Muitas vezes, as lutas ocorriam em campos com pequenos arbustos, chamados na época de capoeira ou capoeirão. Do nome deste lugar surgiu o nome desta luta.
Até o ano de 1930, a prática da capoeira ficou proibida no Brasil, pois era vista como uma prática violenta e subversiva. A polícia recebia orientações para prender os capoeiristas que praticavam esta luta. Em 1930, um importante capoeirista brasileiro, mestre Bimba, apresentou a luta para o então presidente Getúlio Vargas. O presidente gostou tanto desta arte que a transformou em esporte nacional brasileiro..."

[www.suapesquisa.com]

FEIRA DO LIVRO - Teatro


Janine e Antônio, com os filhos Pedro e a filha ATRIZ, Maria Antônia!

Platéia de bem com a vida

Teatro é bom demais!



No sábado pela manhã, dia 23, o Seridó amanheceu com "cara de chuva": o sol se escondeu, chegou um clima gostoso, quase frio; e a gente podia perceber acúmulo d'água "aqui e acolá" no Rio Seridó.
Fui à Ilha de Sant'Ana e lá estava uma peça teatral com uma platéia resumida mas fiel, de olhos abertos e atentos na direção do palco. Adultos e crianças encantados com a história, a expressão, a arte que brota do teatro.
É interessante que quando faz sol, as pessoas dizem "não fui porque o sol estava quente..." mas quando chove dizem "não fui porque havia chovido e estava tão bom pra dormir..." Assim se deixa de conhecer e de gostar de maravilhas culturais como o teatro, a dança e tantas outras formas de arte. Não posso deixar de frisar - e lamentar - que a Feira do Livro do Seridó ainda não alcançou uma quantidade merecida de visitantes em Caicó.
Parabéns aos que foram! Não sabe o que perdeu, quem deixou de ir!


Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

FEIRA DO LIVRO DO SERIDÓ - Você é o que lê!


Livros para Infância

Pelos Caminhos da Vida - obra de Josefa Lisboa, de Florânia


Literatura de Cordel - tem que ter!



Orlando Caboré e seus filhos literários
A Feira do Livro do Seridó foi realizada em Caicó de 21 a 23 de outubro, na Ilha de Sant'Ana. Além das representações de Editoras como Paulus, Paulinas e outras, se faziam presentes escritores do Seridó.
Encontrei na Feira o jornalista Orlando Caboré, com seus livros "Bom Pra Otário" e "Os Primos do Gavião". Também se fazia presente na Feira, o livro "Pelos Caminhos da Vida", escrito pela professora Josefa Lisboa, de Florânia, RN. O livro é uma história de amor, envolvendo Florânia e outras cidades do Seridó.
A Literatura de Cordel não pode - nem deve - faltar em eventos culturais e lá estava uma mesa com poesia de variados autores, inclusive, muitos daqui do Estado e da região Seridó.
Entrando e saindo nos quiosques com obras literárias, encontrei uma belíssima coleção direcionada as crianças, que fala sobre variados assuntos, alguns difíceis de lidar, mas que faz parte também da infância. A coleção traz os títulos "Por que ter medo?", "Diga NÃO ao alcool e as drogas", "Quando seu animal de estimação morre", "Divirta-se com segurança", "Quando os pais separam", "Quando seus avós morrem", "Seja a Estrela que você é", "Quando alguém que você ama está com câncer", "Gosto de ser como sou"... e tantos outros. Assuntos como perda, morte, doença, são sempre difíceis de explicar as crianças e dependendo de como isso seja encarado por elas, pode ocasionar traumas para a vida inteira. A coleção ajuda a criança a conhecer e entender estas dificuldades da vida, lidando o assunto com seriedade mas ao mesmo tempo com uma linguagem que está ao alcance do entendimento da criança. Além disso os assuntos que tratam de segurança, de se conhecer e se gostar, contribuem para o autoconhecimento e auto-estima, tão necessários para o desenvolvimento do ser humano. Gostei de conhecer!

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Festa do Rosário, de Caicó!






Ontem foi encerrada a Festa do Rosário de Caicó. Neste ano o novenário teve a juventude no tema central e as homilias eram realizadas por pessoas da comunidade, que levaram a mensagem da necessidade do diálogo, do respeito e da compreensão no relacionamento dos pais com os filhos e vice-versa.
O tema da Festa do Rosário 2010 era “ O jovem é como uma árvore que cresce: para se desenvolver bem precisa de raízes profundas”. Os assuntos que mais circundam a juventude foram debatidos – drogas, sexualidade, estudo, diversão – em homilias que foram verdadeiras lições para os pais da atualidade. Quem foi as novenas e ouviu as pregações, teve o privilégio de adquirir mais conhecimento e de perceber que na sua fé e nos seus valores estão os ingredientes fundamentais para a criação dos filhos.
Atualmente a visão do jovem sobre a vivência da sexualidade e as diversões, são bem diferentes de antigamente ou até mesmo de pouco tempo atrás. Os pais de hoje muitas vezes se deparam com situações que vão de encontro aos seus valores alicerçados na vivência cristã e no próprio conceito de respeito à família. Diante disso são várias as interrogações: valores devem ser trocados com o passar do tempo? Quem dita os valores da família é a mídia ou até mesmo os filhos - que na verdade ainda estão no processo de adquirir valores? Até onde se pode ceder? O que são motivos reais para mudança de conceitos? Estas e outras questões estavam intrínsecas nos temas que foram expostos durante as novenas.
No decorrer da Festa do Rosário, houve Jantar de Confraternização, música ao vivo com artistas da terra, todas as noites, e apresentações dos Negros do Rosário; que dão um toque especial aos eventos, com seus passos ritmados que carregam cultura e tradição secular.
Na procissão de encerramento ontem, as ruas de Caicó estavam lotadas de fiéis e a procissão seguiu com a Corte Real e a venerável imagem de Nossa Senhora do Rosário, sob acordes da Filarmônica Recreio Caicoense, som de pífanos e tambores dos Negros do Rosário de Caicó e Parelhas; e cânticos religiosos.
A Irmandade do Rosário está fortalecida em Caicó. E isso merece aplausos!


Anna Jailma - jornalista e blogueira
FOTOS: KURTIÇÃO - www.kurticao.com.br

A Síndrome da Rua Grande


Visitando a Feira do Livro do Seridó, em Caicó, encontrei por lá, rodeado de livros e com a netinha Taiane, o jornalista Orlando Caboré.
Já tive oportunidade de entrevistá-lo, quando eu trabalhava no Jornal Correio do Seridó. A entrevista foi sobre seu livro "Os primos do Gavião" que reúne "causos" daqui do Seridó. É um livro descontraído sobre as vivências interioranas de Caicó e região.
Caboré é uma junção de humorista, analista político e crítico, sem "papa na língua" e com um olhar aguçado, que enxerga longe e gosta de contar e recontar o que viu, sem mordaças ou "tábuas nos olhos".
Na conversa informal que tive com Caboré, na última quinta-feira, ele me falou sobre seu novo livro: A Síndrome da Rua Grande. A obra traz o início da década de 60 em Caicó, tratando dos crimes ocorridos na época; que instalaram o medo na região, baixando o tom das conversas nas calçadas.
Segue abaixo um trecho do que será o livro, com lançamento previsto para dezembro. E para saber mais acesse http://www.ocabore.com/


Anna Jailma - jornalista e blogueira


"...O assassinato em circunstâncias aparentemente inexplicáveis do jovem Nilson de Aníbal numa valeta da estrada do açude Itans, em Caicó, cenário impensável para um crime sem motivo aparente, já constitui por si só motivo para que o leitor desenvolva fabulações acerca da sociedade caicoense do início dos anos 1960. E o experiente jornalista caicoense Orlando Caboré não poupa munição para atendê-lo. Através de uma série de análises e apresentação de inúmeros elementos que vai colando à disposição do leitor, vai capacitá-lo a entender, se não a motivação e a autoria do crime, de imediato, pelo menos o contexto que o tornou possível.
O mesmo procedimento é dado aos assassinatos do empresário Aníbal da Cunha Macedo e dos médicos Onaldo Queiroz, Carlindo Dantas e Pedro Militão. A morte dos três primeiros é contada em detalhes que chocam pela persistência de práticas que remontam ao coronelismo, aos justiceiros de honra, ao banditismo congênito, a um sertão sem lei nem rei, um sertão que parece nunca acabar em seus estertores sanguinolentos! A notícia sobre a morte do Dr. Militão é como que uma reedição da síndrome que parece não cessar na região...

[Nelson Patriota ]

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

NOTAS DO DIA




FEIRA DO LIVRO - Até amanhã, sábado, acontece a Feira do Livro do Seridó, realizada no Complexo Turístico Ilha de Sant'Ana. A programação envolve palestras, oficinas e presença de várias editoras e diversos escritores.
Na Feira há obras literárias para todas as idades, para todos os estilos e de todos os preços. Também há quiosques com artesanatos, bijouterias, artigos de decoração. E nesta junção de arte e cultura, também acontece apresentação de capoeira - adoro capoeira - e de artistas da terra que cantam e encantam o evento. Vale a pena conferir! Depois irei publicar fotos do evento, junto a mais comentários.




CHUVAS - Ontem o Seridó anoiteceu com um clima melhor: choveu! Não foi uma chuva de fazer "correr água na bica" como dizemos por aqui, mas foi uma chuvinha fina que serviu para amenizar o calor escaldante que queimava o Seridó sem dó nos últimos dias.
Choveu ontem em vários municípios do Seridó, inclusive em São João do Sabugi e aqui em Caicó. Não temos registros pluviométricos, mas vale a pena dizer que "choveu" que o céu do Seridó brilhou mais, com relâmpagos.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

INDIGNAÇÃO

É com indignação que registro aqui o meu repúdio as palavras do ex-vereador Renato Dantas, que no seu twitter, declarou a infeliz frase: “F. Gomes era gente boa. Fez aquela matéria do bafômetro comigo em Caicó, sem ouvir minha versão. Agora vai editar o Diário do Cão”.
A declaração de Renato Dantas é comentada desde ontem pela imprensa do Estado. Fiquei sabendo do fato através do blog de Robson Pires e também li a mesma notícia no blog de Suerda Medeiros. Conforme a notícia do blog de Robson, o ex-vereador foi procurado pela imprensa e confirmou ser ele mesmo o autor das postagens.
O ex-vereador foi preso pela Polícia Rodoviária Federal em Caicó, durante uma Festa de Sant'Ana porque dirigia embriagado. Na ocasião ele se negou a fazer o teste do bafômetro. O fato foi noticiado por F. Gomes e também pela imprensa do Estado. Mas Renato Dantas resolveu mostrar sua revolta agora e justamente contra F. Gomes que não pode se defender. A atitude do ex-vereador é no mínimo, covarde.
Renato Dantas é filho do ex-deputado Dari Dantas, neto de Sr. Assis Dantas, descendente da tradicional e respeitada Família Dantas do Seridó. Ele vem das raízes das Oiticicas, com ramificações em nossa São João do Sabugi e mais ainda em Caicó, na terra de F. Gomes. Sua declaração envergonha todos nós, filhos do Seridó.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Adeus de F. Gomes - pelo olhar de Canindé Soares

A grande família de F. Gomes: o povo do Seridó chorando irmanado na Igreja Matriz de São José, e assim era lá fora, nos degraus da Igreja e no pátio...



O cortejo fúnebre pelas ruas contou com uma estimativa de 50 mil pessoas

O pesar do amigo Saci


O semblante triste do seridoense

Não conheço o fotógrafo Canindé Soares pessoalmente, mas sou fã de sua sensibilidade tão bem expressa em suas fotografias. Canindé transmite sentimento, alma, nos detalhes que capta pelas lentes de sua câmera.
Hoje visitei seu site http://www.canindesoares.com/ e me emocionei com as imagens captadas por ele, do "Adeus à F. Gomes", na tarde de ontem aqui em Caicó. Divido agora estas imagens cheias de emoção do povo do Seridó.

Anna Jailma - jornalista e blogueira.

Assassino de F. Gomes está preso

Com a prisão de João Francisco dos Santos, o "Dão", que depois de preso confessou ser o autor dos disparos contra F. Gomes, começa o desenrolar dos fatos, em busca dos detalhes do crime. As investigações seguem avaliando sobre os reais motivos que o levaram a praticar este assassinato e inclusive, sobre a existência de mandante...ou mandantes.
Segue matéria do jornal Tribuna do Norte, sobre a prisão do criminoso e dados de seu depoimento.
Anna Jailma - jornalista e blogueira.

Da Tribuna do Norte
Vingança. Este foi o motivo revelado pelo desempregado João Francisco dos Santos para assassinar o jornalista F. Gomes. Após vários depoimentos ao delegado Ronaldo Gomes, que preside o inquérito acerca do crime, Dão, como é conhecido o criminoso, afirmou que já havia jurado o comunicador de morte desde 2007, quando foi preso por roubo qualificado. Segundo o depoimento que Dão prestou ao delegado Ronaldo Gomes, F. Gomes teria dado grande visibilidade ao crime praticado por ele e, supostamente por esse motivo, a Justiça teria decidido manter o criminoso em regime fechado durante um ano e meio, e não sete meses, como esperava Dão. Com esse argumento, ele afirmou que iniciou o "plano" para matar F. Gomes.
Garantindo que sua mulher não sabia sobre o plano de matar o jornalista, Dão disse que passou 30 dias acompanhando a rotina de F. Gomes e sabendo que ele tinha hábito de ficar na calçada com amigos no início da noite. Depois disso, ele comprou uma arma em Caicó e decidiu executar o jornalista na noite de segunda-feira (18). Porém, ele deixou pistas do homicídio.
O delegado Ronaldo Gomes explicou que Dão foi solto no início da madrugada porque, naquele momento, não havia indícios de que ele seria o autor dos disparos que mataram F. Gomes. No entanto, depois que a polícia encontrou a jaqueta, calça, sandália e camisas do suspeito no bairro Paraíba, foi possível identificar o criminoso. O pedido de prisão temporária de 30 dias foi acatado pela Justiça, com a possibilidade de mais 30 dias.
Sob os gritos de assassino, Dão foi conduzido da delegacia para o Presídio Estadual do Seridó, o chamado Pereirão. Mesmo com a confissão e versão de Dão sobre o crime, Ronaldo Gomes garantiu que a investigação vai continuar porque o depoimento sobre o caso foi "muito simples".
A possibilidade de que o crime estivesse ligado à denúncia de compra de votos com crack está descartada, mas ainda há a possibilidade de que haja um mandante para o crime. O traficante e assaltante Valdir Souza do Nascimento, preso em Alcaçuz, teria ligação com Dão e também já havia ameaçado F. Gomes de morte. Segundo informações de Caicó, Dão já teria cumprido algumas ordens de Valdir e, mesmo preso, há investigação se ele foi o mandante.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Homenagem

Recebi nos recados do blog, uma mensagem da professora Dra. Grinaura Morais, homenageando o saudoso F. Gomes. Entre as palavras, a frase que diz "...se as suas ideias continuam a circular, dificilmente as pessoas cultivarão o sentimento de partida e de morte" nos faz ter a certeza que pessoas como F. realmente não partem e por isso mesmo, para nós todos, ele permanece vivo.
A voz de F. não calou. Ela agora é mais alta e mais forte, transmitida pela irmandade de jornalistas de todo o Estado, por todo o povo seridoense, gritando por Justiça. Uma Justiça que não deve ser tardia nem falha.

Segue a mensagem de Dra. Grinaura Morais:



F. GOMES!
Uma das últimas matérias postadas no blog foi um anúncio que solicitei em nome da comissão do II SEPE sobre a realização do evento no Campus de Caicó – que terá sua abertura hoje à noite, às 19h30min no CERES – Caicó. Prontamente você nos atendeu, sem delongas.
Mal nos conhecemos em uma oficina sobre jornal, no SESC, há poucos dias, foi aí que fiquei ciente de que você tinha o dom do trabalho ético e sabia honrar os compromissos com o ofício e com a informação, aquela despretensiosa, sem interesse vil, corajosa, destemida.
Na vida fazemos escolhas e você escolheu cultivar esta alma sincera em plena expansão, esta parte do humano decididamente humana que lida com a dor, a angústia, a injustiça e o sofrimento do outro.
Fique sabendo! Não fostes o primeiro nem serás o último na história humana a ter sua existência terrena interrompida. Mera ilusão achar que perdemos uma grande pessoa como você porque o homem inteligente se perpetua pelas suas ideias, e enfrenta o outro com as armas oriundas da inteligência e não pela força bruta e covarde.
As pessoas a quem interessava o seu desligamento terreno assassinaram a si próprias como eternos andarilhos à deriva da miséria humana, rastejantes pela vida, por não se aceitarem a si próprias. Personas que precisam eliminar o outro para poderem viver, desprovidas de tudo o que se possa assinalar e se ter como gente, personas inadequadas num projeto de civilização, de urbanidade e de cidadania decente.
O seu tempo não terá hora entre os que ficam porque se as suas ideias continuam a circular, dificilmente as pessoas cultivarão o sentimento de partida e de morte.
Muitos vivos estão mortos perambulando em busca de uma explicação para continuarem o desserviço da sobrevida, do não servir. Muitos mortos estão e continuarão vivos porque suas ideias brotam em lugares e pessoas inimagináveis. Digo, pessoas sensíveis, criativas e perceptíveis como você.
A ecologia da vida tratará de restabelecer o equilíbrio desta situação e de reordenar os sentimentos dos seridoenses neste momento.
Professora Dra. Grinaura Medeiros de Morais do Departamento de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – Ceres – Caicó.
Em nome da Comissão do II SEPE (Ione Rodrigues Diniz Morais, Maria de Fátima Garcia, Otília Maria A.N.D.A., Tarciano de Morais Silva).
Nossos sentimentos!
Postagem - Anna Jailma, jornalista e blogueira.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Morre F. Gomes

F. Gomes...
Passeio da Rádio Caicó em Acari, em agosto do ano passado

Confraternização da Rádio Caicó, em dezembro 2009.

Início da cobertura da Festa de Sant'Ana em 2009

Momentos no estúdio da Rádio Caicó


Não tenho como expressar o sentimento de pesar pela morte do jornalista F.Gomes, assassinado hoje a noite aqui em Caicó, na calçada de casa, com cinco tiros. Sem palavras e ainda sem acreditar nesta tragédia, deixo aqui fotografias de alguns momentos de F. na Rádio Caicó.
Na Rádio Caicó F.Gomes era chefe do Departamento de Jornalismo e no convívio profissional pude conhecer de perto o profissional sinônimo de credibilidade, e também o F. ou “Chico”- como as vezes era chamado - brincalhão, amigo e sobretudo, dedicado a família.
Que Deus esteja contigo F. e que a Justiça seja feita, para que a gente não comece a imaginar que ela é falha ou inexistente.
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

sábado, 9 de outubro de 2010

Aniversário!
















Hoje, dia 09 de outubro, é aniversário de D. Dalvaci Medeiros, minha sogra. Como na data de hoje ela iria viajar à Natal, a festa surpresa aconteceu ontem; reunindo a turma do Cordel, da Casa de Cultura de Caicó, formada pelos"filhos adotivos" de D. Dalvaci, além de Dodora, a filha caçula.
Na surpresa, a festa contou com o "parabéns pra você" e outras músicas, no som do sax do filho Totó Medeiros.
Depois de bem "abastecidos" com bolo e salgados, parte da turma se reuniu na calçada e uma homenagem em Cordel foi criada para a aniversariante.

Anna Jailma - jornalista e blogueira


À minha Dalva querida
Um abraço fraternal
Dos amigos do Cordel
Pois tu és fenomenal
Nesses seus setenta e oito
Faça cocada e biscoito
Com gostinho especial


Essa pessoa querida
Nunca se cansa da vida
Que Maria Concebida
Ilumine os dias seus
Fizemos uma surpresa
Com uma festa beleza
Em volta de sua mesa
Fazendo preces à Deus


[ Djalma Mota, Lourdes, Túlio, Ícaro, Dodora Medeiros,

Zilma, Ceiça, Ermita Lucena e Anna Jailma]