terça-feira, 19 de outubro de 2010

Homenagem

Recebi nos recados do blog, uma mensagem da professora Dra. Grinaura Morais, homenageando o saudoso F. Gomes. Entre as palavras, a frase que diz "...se as suas ideias continuam a circular, dificilmente as pessoas cultivarão o sentimento de partida e de morte" nos faz ter a certeza que pessoas como F. realmente não partem e por isso mesmo, para nós todos, ele permanece vivo.
A voz de F. não calou. Ela agora é mais alta e mais forte, transmitida pela irmandade de jornalistas de todo o Estado, por todo o povo seridoense, gritando por Justiça. Uma Justiça que não deve ser tardia nem falha.

Segue a mensagem de Dra. Grinaura Morais:



F. GOMES!
Uma das últimas matérias postadas no blog foi um anúncio que solicitei em nome da comissão do II SEPE sobre a realização do evento no Campus de Caicó – que terá sua abertura hoje à noite, às 19h30min no CERES – Caicó. Prontamente você nos atendeu, sem delongas.
Mal nos conhecemos em uma oficina sobre jornal, no SESC, há poucos dias, foi aí que fiquei ciente de que você tinha o dom do trabalho ético e sabia honrar os compromissos com o ofício e com a informação, aquela despretensiosa, sem interesse vil, corajosa, destemida.
Na vida fazemos escolhas e você escolheu cultivar esta alma sincera em plena expansão, esta parte do humano decididamente humana que lida com a dor, a angústia, a injustiça e o sofrimento do outro.
Fique sabendo! Não fostes o primeiro nem serás o último na história humana a ter sua existência terrena interrompida. Mera ilusão achar que perdemos uma grande pessoa como você porque o homem inteligente se perpetua pelas suas ideias, e enfrenta o outro com as armas oriundas da inteligência e não pela força bruta e covarde.
As pessoas a quem interessava o seu desligamento terreno assassinaram a si próprias como eternos andarilhos à deriva da miséria humana, rastejantes pela vida, por não se aceitarem a si próprias. Personas que precisam eliminar o outro para poderem viver, desprovidas de tudo o que se possa assinalar e se ter como gente, personas inadequadas num projeto de civilização, de urbanidade e de cidadania decente.
O seu tempo não terá hora entre os que ficam porque se as suas ideias continuam a circular, dificilmente as pessoas cultivarão o sentimento de partida e de morte.
Muitos vivos estão mortos perambulando em busca de uma explicação para continuarem o desserviço da sobrevida, do não servir. Muitos mortos estão e continuarão vivos porque suas ideias brotam em lugares e pessoas inimagináveis. Digo, pessoas sensíveis, criativas e perceptíveis como você.
A ecologia da vida tratará de restabelecer o equilíbrio desta situação e de reordenar os sentimentos dos seridoenses neste momento.
Professora Dra. Grinaura Medeiros de Morais do Departamento de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – Ceres – Caicó.
Em nome da Comissão do II SEPE (Ione Rodrigues Diniz Morais, Maria de Fátima Garcia, Otília Maria A.N.D.A., Tarciano de Morais Silva).
Nossos sentimentos!
Postagem - Anna Jailma, jornalista e blogueira.

Nenhum comentário: