terça-feira, 23 de novembro de 2010

Roda Gigante


Hoje, sem nenhum motivo específico, lembrei da roda gigante do Parque Lima. Não estamos em junho mas a lembrança da roda gigante chegou de repente... Lembro que quando estava na fila de comprar o ingresso, sempre tinha um 'frio na barriga' porque um ou outro colega, fazia questão de botar medo em todo mundo; mas no fim, a gente enfrentava o medo e passeava naquela roda gigante, que parecia 'coisa do outro mundo'. Era enorme, nossa "montanha russa".
...E quando a cadeira ficava lááá em cima, balançando pra lá e pra cá, a gente segurava com muita força e o frio na barriga aumentava; mas, era tão bonito o São João visto lá de cima, que o medo num instante passava. Além do São João em São João, cheio de bandeirinhas coloridas para se olhar, ainda tinha as músicas do Parque Lima, com suas dedicatórias; e quando a roda gigante parava, todo mundo descia com um gosto de quero mais. Ainda tinha os mais atrevidinhos que diziam "já parou? Essa roda não foi completa não, moço..." [risos]
Hoje vejo que a roda gigante é bem semelhante a vida. Tem altos e baixos, momentos de alegria e de frio na barriga. Tem os balanços e a calmaria, tem o sobressalto do início da "rodada", a empolgação no percurso, a beleza que contemplamos e por fim, o freio na hora de descer...E quando a gente desce, sempre fica aquele gosto de "quero mais"...Certamente também há quem diga lá no outro plano: "já parou? Essa roda não foi completa não, moço..."
E a música deste Parque da Vida pode ser a de Chico Buarque, Roda Viva: "...Tem dias que a gente se sente/Como quem partiu ou morreu/A gente estancou de repente/Ou foi o mundo então que cresceu.../A gente quer ter voz ativa/No nosso destino mandar/Mas eis que chega a roda viva/E carrega o destino prá lá ...Roda mundo, roda gigante/Roda moinho, roda pião/O tempo rodou num instante/Nas voltas do meu coração...
A gente vai contra a corrente/Até não poder resistir/Na volta do barco é que sente/O quanto deixou de cumprir/Faz tempo que a gente cultiva/A mais linda roseira que há/Mas eis que chega a roda viva/E carrega a roseira prá lá.../Roda mundo, roda gigante/Roda moinho, roda pião/O tempo rodou num instante/Nas voltas do meu coração...[Roda Viva - Chico Buarque]

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Foto - autor desconhecido

2 comentários:

Ana Maria disse...

Nunca fui numa roda gigante.
Admiro quem tem coragem.
Beijinhos de luz!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

É mesmo Ana? Pois mesmo com muito medo de altura, de vez em quando ouso enfrentar este desafio. Encoraja a alma!

Abraço e volte sempre ao blog.