sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Ano Novo é tempo de reciclar

Marcando a virada de ano...com uma tampa de ágata

Todo ano é a mesma coisa: a gente faz novos planos, renova os sonhos...e cá entre nós, no final do ano a gente até esquece de parte do que planejou ou simplesmente deixamos algo de lado. Mas, sempre tem aqueles sonhos que realizamos e comemoramos pela grandeza de alcançá-los...e tem as reciclagens: pegamos algo - concreto ou abstrato - que a gente nem dava valor e transformamos numa riqueza! Isso acontece tanto em coisas palpáveis, quanto nas abstratas, nos sentimentos que carregamos na alma.Reciclar sentimentos é bem difícil ou no mínimo complicado, mas é possível e o sabor é maravilhoso. Transformar antipatia em amizade, por exemplo, é bom demais. Isso acontece quando você não vai com a cara de um vizinho, um colega de trabalho ou alguém que, de repente, entrou no seu círculo de amizade porque é amigo de um amigo e...ops! Você não foi com "a cara"... Mas com "jeitinho brasileiro" vai convivendo e de repente descobre que estava enganado e a pessoa é sim uma boa amiga! Ufa! É um peso que sai das costas, porque ser "obrigado" a conviver com uma pessoa chata, ninguém merece! A reciclagem com objetos e roupas também tem tudo a ver com ano novo. É tempo de reformar aquela roupa que te "cai bem", mas você já não agüenta mais usar; ou simplesmente aquela peça que um dia você esqueceu no fundo da gaveta, mas agora revirandooo...achou! Falando em reciclagem, "vagando" pela net encontrei idéias show de Katie Thompson. Juro que se tivesse mais disponibilidade de tempo - e também se minha mente estivesse mais "fresca" - eu vivia fazendo arte, li-te-ral-men-te!
A reciclagem com objetos e roupas também tem tudo a ver com ano novo. É tempo de reformar aquela roupa que te "cai bem", mas você já não agüenta mais usar; ou simplesmente aquela peça que um dia você esqueceu no fundo da gaveta, mas agora revirandooo...achou! Falando em reciclagem, "vagando" pela net encontrei idéias show de Katie Thompson. Juro que se tivesse mais disponibilidade de tempo - e também se minha mente estivesse mais "fresca" - eu vivia fazendo arte, li-te-ral-men-te! Vejam só que "mágica"...


... olha esse puf!

Cadê a mala, cadê a mala? Virou uma confortável - e linda - poltrona!


Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Blog Dona Milu

Um comentário:

Regina disse...

Maravilhada fico em ver que as pessoas estão se indentificando e entrando de cabeça nesta fase de aproveitamento,muito interessante o que se pode fazer com coisas que viriam á ser lixo,transformar-se em luxo!