terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Rondonistas - a partida

Eles foram lá, no nosso "Monte Sinai": Serra Mulungu!


Sargento Dobler contemplando o cenário do alto da Serra...
e ele nem tem medo de cairrr!

A rondonista Janaína, feliz da vida, sentindo o abraço da Serra

...e fica a lembrança do aconchego na terra sabugiense

Os rondonistas partiram de São João na madrugada do último domingo. No sábado eu estive em São João e tive o prazer de conhecer parte dos visitantes. Logo no centro da cidade, encontrei o Sargento que acompanhava a turma de rondonistas. Ele procurava presentes típicos de São João do Sabugi para levar como presente para esposa e filhos, no Rio Grande do Sul. O informei a casa da artesã Chica Lopes e depois fui informada que ele e outros rondonistas compraram lembrancinhas por lá.
Fui à Escola Municipal Pe. Joaquim Félix e por lá encontrei as salas de aula ocupadas com colchonetes, bolsas e malas, já com cara de partida. Pelos corredores encontrei rondonistas preparando certificados para os participantes das oficinas ou postando novidades para familiares no notebook. No rosto deles havia uma mistura de satisfação e saudade. Na escola estava um recado aos sabugienses: " A missão foi por um tempo! Amigos pra sempre..."
Conversei rapidamente com alguns deles, enquanto fazia fotos da turma; inclusive conheci alguns que visitaram o À Flor da Terra quando ainda preparavam projetos para a avaliação do Projeto Rondon.No breve contato percebi que estavam realizados com a certeza de missão cumprida, mas sentiam "saudade antecipada" das amizades sabugienses.
Houve troca de telefone com sabugienses, abraços, muitos agradecimentos pela acolhida e pelos inúmeros presentes que receberam do povo da terra. Fazendo uma análise breve dos dias que passaram em São João, o Tenente comentou com minha tia Zeneide: "nunca vi tanto carinho junto".
Nos dias que passaram em São João do Sabugi, os rondonistas realizaram diversas oficinas, inclusive de primeiros socorros; que contou com significativa participação. Também houve oficina no âmbito de Comunicação, que resultou no Jornal O Sabugiense; onde os participantes fizeram matéria sobre a história da cidade, sobre nosso carnaval e ainda charge, coluna e receita. As oficinas também resultaram em belíssimo resgate da história da nossa cidade, registrando os principais acontecimentos e o crescimento urbano.
Outros trabalhos foram realizados, em diversos âmbitos, inclusive também visitaram a comunidade Cachos e o Sítio Quixeré. Os rondonistas muito contribuíram para o desenvolvimento do nosso povo; transmitindo conhecimento e informação, uma importante contribuição para o crescimento de nossa gente e de nossa cidade. Só temos a agradecer quando algo tão bom vem assim, priorizando o bem-comum.
Na noite do sábado, em despedida aos rondonistas, houve um Sarau, no Espaço de Eventos da Praça Antônio Quintino de Araújo. A Filarmônica Honório Maciel, artistas do grupo de teatro Valmira Morais, os violeiros repentistas, artistas de MPB e do mais autêntico forró pé-de-serra, músicos do frevo, levaram arte para a praça; encantando os visitantes e o povo da terra. Foi uma brilhante despedida, para deixar o recado de todos os sabugienses "voltem sempre".
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Janaína ( rondonista)

2 comentários:

Anônimo disse...

Kim Gabriel

Olá, estou com saudades de Sabugi já.
O tempo em que passamos ao lado do povo sabugiense foi extremamente interessante e inspirador para o resto de minha vida. Uma experiência unica, que vou levar pra sempre comigo.
Abraços

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Obrigada Kim, por ter gostado tanto deste nosso recanto. Volte sempre que quiser. São João do Sabugi vive de braços abertos para os visitantes.
A Serra do Mulungu manda lembranças.