quinta-feira, 31 de março de 2011

CNJ proíbe nome de pessoa viva em patrimônio público

O Conselho Nacional de Justiça decidiu que não mais será permitido nome de pessoas vivas em repartições e prédios públicos. A decisão do Conselho justifica que manter os nomes de pessoas vivas em prédios e logradouros públicos fere a lei 6.454/1977, que trata do princípio da impessoalidade na administração pública. Entende-se que nome de pessoa viva em patrimônio público é promoção pessoal. Se esta nova decisão do CNJ for aplicada ao "pé da letra" vários nomes vão ser alterados aqui no Estado; visto que, o Campus da UERN em Natal tem o nome do Governador Fernando Freire, ex-governador. Já o Centro de Convivência, no campus central, chama-se Governador Garibaldi Filho e lá em Mossoró, capital do Oeste, a ex-governadora Wilma de Faria tem nome em praça pública do bairro Belo Horizonte e na Praça de Convivência. Aqui no Seridó, inclusive em Caicó, também temos alguns exemplos. Mas sinceramente, defendo que homenagem deve ser enquanto a pessoa está viva. Se isto representa promoção pessoal, então que deixe de existir, mas homenagear depois da pessoa já não estar entre nós, as vezes é simplesmente uma forma de comover a família e "conseguir votos dos familiares e amigos", devido a promoção da pessoa querida já falecida.Fica aqui esta 'pulga' para a orelha do CNJ.


Anna Jailma - jornalista e blogueira

quarta-feira, 30 de março de 2011

NOTAS DO DIA

ESCOLA MILITAR NO SERIDÓ - Um projeto para a implantação de uma Escola Militar da Polícia Militar, em Caicó, foi idealizado pelo corpo de oficiais do 6° BPM e visa o aprimoramento no conhecimento intelectual das crianças, jovens e adultos. A missão dos colégios militares é ministrar o ensino básico nos níveis Fundamental e Médio, visando aprimorar o modelo educacional e acompanhar mais de perto os jovens e adolescentes.
A idéia é instalar a unidade de ensino onde hoje funciona a Escola Estadual Joaquim Apolinar – EEJA, que atualmente funciona com apenas seis salas de aula pela manhã. No período da noite está funcionando com os alunos da escola Senador Guerra, que atualmente passa por reforma.
Este modelo de escola tem sido reconhecido pelo MEC em todo Brasil, pela qualidade do ensino aplicado nas unidades, bem como, pelo efetivo trabalho de socialização e desenvolvimento da cidadania. Caso seja implantado o Colégio Militar, a escola também vai servir de unidade/escola da Policia Militar para que nossos policiais militares possam ser formados na região; sem que precisem se deslocar a capital do Estado para realizar cursos como o de formação de Cabos/CFC, Sargentos/CFS, Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos/CAS e outros.


CONVITE À POPULAÇÃO - A Campanha da Fraternidade de 2011, tem como tema “Fraternidade e a Vida no Planeta” e como lema “A criação geme em dores de parto”.
Estamos vivenciando mudanças climáticas alarmantes, provocadas pelo aquecimento global do planeta, resultado de várias ações humanas e opções políticas de devastação da natureza e de consumo desenfreado. A civilização do ter, do negociar, do concorrer, do lucro a qualquer custo, do progresso ilimitado, não responde aos anseios da humanidade e não é sustentável.
Como parte das diversas atividades da CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2011 será realizada , em parceria com órgãos governamentais e da sociedade civil, uma importante reunião no Centro Pastoral Dom Wagner, amanhã, dia 31 de março, das 19h às 22h. O objetivo desta ação é encontrar soluções práticas e participativas que envolvam o poder público e a sociedade civil organizada para cuidar da recuperação e preservação dos rios Barra Nova e Seridó, e do açude Itans; bem como, pensar e planejar ações de coleta seletiva de lixo nos bairros de Caicó.
Neste ano, o objetivo da Campanha é colocar em discussão nas dioceses, comunidades, entidades e sociedade em geral, temas como mudanças climáticas, aquecimento global, efeito estufa, a questão energética, desenvolvimento sustentável, modo de produção e consumo vigente, preservação da vida, biodiversidade e a água.
Exerça sua cidadania, lutando por causas que dizem respeito ao bem-comum.

Postagem: Anna Jailma - jornalista e blogueira

Forró Xique - Xique - sertão puro, até no nome!



Quando Whedson Dantas e Railson Medeiros ainda somente “aperuava” os ensaios do Grupo Caravana do Forró e faziam pequenas apresentações destacando o forró pé-de-serra, foram convidados para finalizar as comemorações da Semana do Folclore do ano de 2009 da Escola Estadual Senador José Bernardo, que na época tinha como diretor Ubirajara Morais da Nóbrega.
O grupo contava somente com um vocalista e o sanfoneiro. Diante disso, surgiu a necessidade de angariar novos profissionais da música para compor o grupo pé-de-serra. Por sugestão de Ubirajara Nóbrega, a dupla convidou Reginaldo (Nêgo Bá) para dar o suporte no zabumba. Naquela primeira apresentação, na Escola Estadual Senador José Bernardo, o grupo contou apenas com a sanfona, zabumba, um vocal e o triângulo, que teve o comando de Branquinho, membro da Filarmônica Honório Marciel.
Até aí não tinha um nome definitivo para o grupo pé-de-serra, ou seja, apresentava-se sem uma marca, sem uma identidade. No dia 07 de dezembro de 2009, o grupo foi convidado, para o encerramento da II Mostra de Leitura na Escola Estadual Santa Terezinha, através da diretora Claudete Quintino. O grupo já havia crescido, contando com Cícero no agogô; Zé Rolinha, no triângulo; Reginaldo, no zabumba; Whedsom Dantas na sanfona; Railson Medeiros, no vocal; e Flávio Medeiros, no contrabaixo. E era a primeira apresentação remunerada.
Entre fevereiro e meados de março de 2010, o grupo consultou seus integrantes; bem como, apologistas do forró pé-de-serra e universitários do Curso de História UFRN, como também policiais militares da Guarda Externa da Penitenciária Estadual do Seridó em Caicó, onde trabalha Railson Medeiros, sobre um possível nome para o grupo pé-de-serra. Depois de inúmeras consultas e troca de ideias, surgiu o nome "Forró Xique-Xique".
Em 03 de abril de 2010, o Forró Xique-xique apresentou-se pela primeira vez com o referido nome, na Chácara Santa Luzia, pertencente a Calu Casé. O autêntico forró pé-de-serra, Xique-Xique, animou a festa até as 4h do dia 04 de abril. Como já havia encravado seu nome na história de São João do sabugi, veio uma nova temporada de shows pelo município sabugiense e no dia 21 de junho o Xique-xique foi contratado pela Prefeitura Municipal de São João do Sabugi, para animar a tradicional Festa do Agricultor, durante os festejos do padroeiro. Foi a oportunidade de dividir o palco principal da festa com as demais atrações musicais, dentre elas, Lúcia do Acordeom e Saia Rodada. Nessa empreitada, o grupo contou com a soma de mais um vocal que inclusive, passou a integrar o quadro do xique-xique: a vocalista Nina, que já teve participação em outros grupos musicais da região.
O primeiro CD foi gravado ao vivo e vem agradando o público que reconhece o valor do forró autêntico, que tem a cara do sertão. O CD do Forró Xique-Xique traz regravações de antigos sucessos e composição inédita como o “Xote da Raposa” de autoria de Reginaldo Fernandes (Nêgo Bá), retratando episódio de cotidiano ocorrido no final de 2010 com um dos integrantes do Forró Xique-Xique, "Cícero do agogô".
Atualmente o grupo conta com cinco instrumentos, envolvendo dois vocais e procura destacar o sertão nas composições, no ritmo e até no vestuário de seus componentes. O Forró Xique-Xique é puro sertão, e é formado por Whedsom Dantas (sanfona); Railson Medeiros e Nina (vocais); Reginaldo (zabumba); Flávio Medeiros( contrabaixo); Cícero (agogô); e Zé Rolinha (triângulo).
Ser Xique-Xique é isso: destacar o sertão no nome, nas composições e em todo o estilo do grupo.


Postagem: Anna Jailma - jornalista e blogueira
Com informações de Railson Medeiros

terça-feira, 29 de março de 2011

Morre José Alencar


Morreu agora o ex-vice presidente da república, José Alencar. Foram 13 anos de luta contra o câncer. Ficou o exemplo de homem forte, de fé. José Alencar foi um guerreiro, perseverante. Quando se imaginava que ele já não tinha forças, ele recuperava-se; sempre transmitindo esperança, alegria de viver e uma fé incondicional em Deus.
Lembro-me que certa vez, em 2009, quando trabalhava na Rádio Caicó AM, transmiti no Notícias da Hora, um de seus célebres comentários, quando saiu do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Disse José Alencar, quando perguntaram-lhe como estava: "Eu quero dizer que não estou entregue. Estou entregue somente a quem sempre estive, a Deus".
Que José Alencar esteja em Paz, e com Deus, como sempre demonstrou estar.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Filarmônica ressurge em Jardim do Piranhas


Em Jardim do Piranhas, aqui no Seridó, a sede da filarmônica foi demolida, por decisão da Prefeitura Municipal. O fato entristeceu as pessoas que valorizam a cultura, em especial a música. Mas, neste mês, integrantes da Filarmônica José Raimundo Cavalcante estiveram reunidos com o prefeito municipal e na ocasião, foi anunciada a contratação de Alcione Araújo, como maestro. Ele é um dos integrantes fundadores daquela banda de música e filho de Jardim do Piranhas.
Alcione, que é tenente do Corpo de Bombeiros, sentiu-se lisonjeado diante do convite para assumir a regência da banda. "Estou muito feliz em voltar a assumir a banda de música. Eu estou aqui porque gosto de música e espero que o nosso trabalho possa dar bons frutos. Quero ver novamente da Banda José Raimundo Cavalcante pelas ruas da cidade fazendo um trabalho belíssimo, como sempre fez; mostrando seus talentos e seu brilho. Eu vou fazer o máximo para que o meu trabalho saia conforme estou planejando. Espero que os meus alunos retribuam essa minha dedicação”, disse Alcione.
Devido a demolição da sede da Banda de Música, os músicos vão ensaiar no Centro de Promoção Social e Pastoral Padre João Maria. Os acordes ressurgem em Jardim do Piranhas, mas a filarmônica continua sem sede própria. Uma luta que recomeça...

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Lixo + Chuva = Dengue

Lixo em frente a minha residência "tomando banho de chuva" depois de esperar 7 dias pela coleta

Em Caicó, o problema do acúmulo do lixo continua...e em toda cidade. Não é um problema de alguns bairros, e sim da cidade inteira.
Aqui no Acampamento, já não sabemos quando o lixo passa. As vezes a cada 7 dias, a cada 8 dias...Quando a chuva chega, já não sabemos se vibramos pela provável chegada do nosso inverno ou se lamentamos pelo medo da dengue; afinal, lixo acumulado "tomando banho de chuva" é um "ninho" para proliferação do mosquito. Masss...juram que combatem a dengue! Quem puder, acredite! Eu, não posso acreditar.

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto
- Anna Jailma

sexta-feira, 25 de março de 2011

Sabugiense é homenageada em Caicó

A Rádio Caicó AM escolheu 50 mulheres empreendedoras do Seridó para receberem homenagem especial na noite de hoje, no Complexo Turístico Ilha de Sant'Ana. De São João do Sabugi, foi escolhida Dra. Maria Aparecida de Araújo, reconhecida pelo exímio trabalho como médica e como empresária.
A história de vida de Dra. Aparecida reúne a vocação pela Medicina e o talento nato em lidar no comércio, um talento herdado do saudoso Manoel Leandro. Ainda criança, aos 10 anos, a menina Aparecida aprendia lições de comércio com seu pai e quando chegou a época de realizar o sonho de ser médica, não foi fácil deixar a "bodega", ambiente que já a fascinava. Mas ela seguiu o caminho da Medicina, voltou, e deu continuidade aos dois projetos de sua vida: ser médica e ser comerciante.
À Dra. Aparecida Araújo, os parabéns do Blog À Flor da Terra, pelo exemplo de mulher empreendedora e pela merecida homenagem à ser recebida hoje na Ilha de Sant'Ana.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Embrião na Poesia


Acontece amanhã, sábado, às 19h30, o lançamento do livro Embriões da Poesia, do poeta Manoel Dantas. O evento acontece na Casa da Amizade, em Caicó, e será emoldurado pelo encantador dedilhar do violonista Paulo Lúcio Dantas. A junção da poesia de Manoel Dants com a música de Paulo Lúcio Dantas, promete uma noite ímpar.O livro Embrião da Poesia traz sonetos, trovas, cordelito, sextilhas, setilhas, quadrões, décimas e diversas formas poéticas.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

BATOM E SALTO ALTO

Acontece em Caicó dia 16 de abril, no Clube dos Oficiais, a 2ª edição do Batom e Salto Alto, evento que reúne muita informação, novidades e exposições de produtos do universo feminino.

Nesta edição, um dos destaques será o absorvente higiênico ANION que emite 5.800 ânios por cc, para inibir com eficácia bactérias e vírus. Alcança funções antiinflamatórias, antibacteriana e desodorantes, melhorando a qualidade de vida da mulher.

O evento também conta com palestras, exposições de produtos e a apresentação de uma dança sensual. Envolvidos nesta segunda edição estão os parceiros Winalite Brasil LTDA, Depozzito Boutique, Couro Moda, Cravo & Rosa Boutique, Espaço Mulher, Crislaine Face & Corpo, Vitória Cabelos & Cia, L'aqua de Fiori, site Sem Opção e Serviço D'egust Buffet. Outras informações: (84) 9641-1225/8737-3765 – com Rose Carla.

Anna Jailma - jornalista e blogueira

domingo, 20 de março de 2011

Gente que pensa, logo existe!


"...O carnaval precisa ser repensado, a fim de recuperar sua feição mais cultural que econômica. E mesmo no tocante a ser um evento cultural, precisam ser discutidos quais os modelos a ser preservados, recuperados ou expandidos. Desde os anos 1980 que o modelo pernambucano tem sido paulatinamente substituído pelo modelo baiano, descaracterizando nossa folia. Nosso carnaval é filho de Pernambuco, da folia mais democrática que acontece por lá. A questão do investimento dos recursos públicos tem quer ser repensada e as condições adequadas precisam ser oferecidas. Tem cabimento haver plantão médico no carnaval, para atender bêbados e valentões, e faltar plantão durante o dia-a-dia, para os idosos e as crianças, por exemplo? Quem ganha mesmo com o carnaval: os donos das bandas, os intermediários, os donos dos carrinhos de cachorro-quente? E quem mais perde? "


[ Historiador João Quintino Filho, de São João do Sabugi RN, comentando o texto de Djalma Mota "Carnaval de Axé e Agonia" publicado aqui no blog]
Postagem: Anna Jailma
Foto: blog de Lenilson Azevedo

terça-feira, 15 de março de 2011

A pressa da alma...


... Sem tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em lugares onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte... Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: "as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos". Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.


Rubem Alves



Do blog À Flor da Terra: adoro Rubem Alves. E de vez em quando, lá de sua janela, ele lê meu pensamento.


Anna Jailma - jornalista e blogueira, fã de Rubem Alves

Ô Insôniaaaaaaaaaa...












Eles não têm sono na noite do domingo de carnaval. Todos os anos, São João do Sabugi fica à espera da descida glamourosa do bloco Ô Insônia, que traz fantasia, criatividade e muita alegria pelas ruas.
Neste ano o tema foi Anjos & Demônios. Captei algumas fotografias do blog de João Quintino, idealizador do bloco, e trouxe para cá asas e espetos, dos personagens desta noite sem sono; onde a magia da fantasia momesca falou mais alto.
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - blog de J.Q

Gente que Empurra o Burro!










Na segunda-feira de carnaval, o bloco Empurra o Burro desceu a "ladeira", invadindo as ruas com marchinhas e frevo; em São João do Sabugi. Era quase o "pingo do meio-dia", mas os foliões estavam com todo o pique. Teve até turista posando do lado do burro para fazer foto!
O Empurra o Burro teve a concentração próximo ao Ladeirão e de lá vieram os bonecos gigantes, o burro rodopiando na rua, os foliões movidos a farinha e muito frevo, com músicos da terra. Neste ano tinha até bisaco com frango e farofa...o Rei Momo 2006 Egnaldo Nascimento provava do frango com farofa entre um passo e outro do frevo. No Espaço de Eventos a festa momesca rolou solta até altas horas da noite. Teve frevo, axé e samba.

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

Os Vagabundos também amam!





Terça-feira de carnaval em São João do Sabugi: o bloco Os Vagabundos fizeram a festa pelas ruas. Animados e conduzidos pela música do bloco, os meninos passaram pela Av. Honório Maciel dançando, fazendo coreografias e posando para fotos.
Um detalhe interessante é que a todo momendo faziam corações nas mãos. Isso prova que os "vagabundos" também amam...e muito! Pela turma feminina que acompanhava o bloco, deu para perceber que, além da alegria, o amor também esteve marcando presença na folia do bloco.
Parabéns aos foliões. Continuem fazendo este carnaval de paz, alegria e muito amor no coração.

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Anna Jailma

segunda-feira, 14 de março de 2011

Dia da POESIA

Para aonde vai a Terra,

Com seu eixo desviado,

Seu povo submergido,

Suas urbes destruídas,

Governos desnorteados

Nesse imenso padecer?


Acho que vai passear,

Andando pelo universo

Feito a rês desgarrada

Que meu sogro procurou

Há mais de oitenta anos

Nos aceiros do sertão.


Ou vai expiar as bombas

Jogadas de aviões,

Navios, carros, canhões,

Nas cabeças inocentes

Por belicoso inimigo

Que despreza compaixão.


Neste dia da Poesia,

O que houver de lirismo

Está ligado ao Japão:

Pelos olhos da emoção,

Amor, solidariedade

E saudade no coração.


Jornalista Walter Medeiros

Com a palavra, Djalma Mota!

Carnaval de Axé e Agonia...

Por Djalma Mota

Depois da folia de momo, a cidade antes abarrotada de visitantes turistas, cai num grande vazio ao voltar à sua aparente normalidade.

A ressaca que fica não é apenas a fadiga causada pela exaustão física dos foliões. Muito além dos exageros praticados por jovens levados pela “onda” do modismo, prevalece a preocupação da sociedade que padece ante a falta de respeito e de estrutura numa festa de elevadas proporções.

O que se observa? A cidade se comprime. As residências superlotam; faltam pousadas, hotéis e restaurantes; as artérias se estreitam e ficam interditadas ao serem tomadas pelo fluxo desordenado de veículos; não há estruturas sanitárias adequadas nos espaços reservados à folia; a coleta ineficiente dos resíduos sólidos - insuficiente em tempos normais, colabora com a poluição, causando sérios riscos à saúde; a exploração comercial é notória (locação de imóveis, transporte, alimentação, serviços); além da exploração sexual e prostituição de menores.

Até quando conviver com a mesmice? A falta de criatividade reina no carnaval caicoense. Alguns se beneficiam utilizando precárias estruturas. Não se planeja.

Fala-se inclusive ser o terceiro maior do nordeste. Será?

Por fim, o lixo musical que contagia a juventude contamina sem compaixão os ouvidos mais apurados daqueles que apreciam, ou melhor, apreciaram um bom repertório carnavalesco. As tradicionais marchinhas, o frevo e outros gêneros memoráveis estão ficando cada vez mais distantes da mídia moderna. Assim, não há duvidas... Caicó caminha deveras, para uma “CIDADE DE AXÉ E DE AGONIA”!

Sou do tempo do corso e dos blocos fantasiados; dos bailes tradicionais; do “Bloco do Lixo” de Pedro Mala Véia e sua burra de padre, de Chagas e sua calunga; dentre outros personagens;

Saudades! Muitas Saudades!

Aqui, jaz, meu saudoso carnaval.


Do blog À Flor da Terra: Não se pode deixar de reconhecer que os grandes eventos trazem geração de emprego e renda, além de promover o turismo local e levar o nome da cidade aos quatro cantos do mundo, etc. Mas não se pode - nem se deve - usar um cabresto e deixar de olhar para o lado, passando a enxergar somente o lado bom dos confetes e serpentinas. O pensamento de Djalma Mota é coerente com a nossa realidade. E aqui trago indagações: vamos seguir ignorando o lixo acumulado nas ruas principalmente nos grandes eventos como o carnaval? Se a demanda é maior, por que não se planeja a coleta conforme esta demanda? E o trânsito, vai seguir ano após ano sendo este caos desordenado, em Caicó? E a falta de estrutura sanitária? E a exploração comercial que começa no aluguel de residências e alastra-se pelo preço de tudo que se compra - comida, bebida, roupa e até corrida de mototáxi? É preciso enxergar os pontos negativos para se fazer crescer o carnaval, com beleza e estrutura, verdadeiramente. Não é "fazendo de conta" que os problemas não existem, que se constrói um grande evento. Pelo contrário, o pior cego é o aquele que não quer vê e é fingindo cegueira que damos asas aos problemas... Quando menos esperarmos, os problemas crescem mais que a festa e a devora, sem dó.

Anna Jailma - jornalista e blogueira