terça-feira, 5 de junho de 2012

Poesia

A DIVINA SERRA

Davi Cândido, 15 anos.

Só pode ter sido Deus
O arquiteto da serra,
Pois Deus é um construtor
Que em suas obras não erra
Na região não tem igual
Pois é uma obra natural
E uma beleza da terra.

Nesta construção divina
São Pedro foi o pedreiro
Santo Antonio foi ajudante
São Jose carpinteiro
Todos três abriram mão
E doaram pra são João
A serra, pro padroeiro.

A serra do Mulungu
Tem um M de fachada,
Pra subir os seus andares
Não precisa ter escada.
Não há elevador que ajude
Por isso que a juventude
Só vive de escalada.

Lá no cruzeiro da serra
Se fazia procissão,
No tempo que os peregrinos
Seguiam Frei Damião,
A subida vale apena
Porque ele é a antena
Para o monte de oração.

Não digo por heresia
Mas tenho a convicção,
É um lar de fauna e flora
De muita preservação,
Por isso que seu artista
Presenteou João Batista
Com a serra de São João.


Do blog: A poesia de Davi Cândido, adolescente de 15 anos, que nasceu e cresceu em São João do Sabugi, RN, retrata muito bem o sentimento que o povo sabugiense tem pela Serra do Mulungu: nos remete a nossa fé, pelas histórias de peregrinação até o Cruzeiro da Serra; representa um lar de fauna e flora, por erguer nossa caatinga ao alcance de todos os olhares;  é também um desafio para a juventude, que vê na sua escalada uma aventura, uma lembrança pra vida toda; e sem dúvida, é um presente de Deus, que embeleza nossa terra e traz inspiração aos poetas e contadores de histórias, com suas lendas. 
E isso não é bairrismo, isto é "amor pela terra". Se ao ouvirmos uma música, lembramos de alguém que gostamos, ou de um momento especial, assim também é, com o que lembra a nossa terra de origem: os cariocas amam Copacabana; os paulistas amam a Avenida Paulista; os caicoenses amam o Arco do Triunfo; o povo de Carnaúba dos Dantas, o Monte do Galo; os natalenses, o Morro do Careca...Nós, sabugienses, amamos a Serra do Mulungu. Simples assim.

Anna Jailma - jornalista e blogueira.

Nenhum comentário: