quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Comunidade Caiçaras celebra desenvolvimento de Projeto


A Missa contou com significativa presença de pessoas da comunidade

Dom Manoel Delson em celebração na comunidade Caiçaras


A Articulação do Semiárido – ASA Potiguar, em parceria com o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários – SEAPAC, e outras instituições, vem implantando em todo o semi-árido potiguar o projeto “Saber viver no semi-árido”. Desde que foi lançado, o projeto já implantou mil unidades. “A intenção principal é valorizar a cultura do agricultor e da agricultura, e no entorno de suas casas, valorizar a produção de alimentos saudáveis e sadios, coordenados pela família; sem precisar o agricultor sair de casa para comprar na feira, coentro, alface ou tomate envenenado, ele pode ter tudo isso em torno da casa. É isso que chamamos de soberania e segurança alimentar”, explica José Procópio de Lucena, coordenador da ASA no RN e técnico do Seapac.
A tecnologia é do próprio agricultor, e acaba tornando o projeto barato, e a responsabilidade é das pessoas da comunidade, através das associações. “Você tem um conjunto de verdura e fruteiras da nossa cultura, intercaladas com plantas medicinais para ajudar na alimentação, e combater qualquer inseto que queira fazer uso das plantas alimentares. Essa experiência não pertence aos parceiros e sim a comunidade”, explicou Procópio.
A cisterna calçadão armazena até 52 mil litros de água para uso em irrigação de hortaliças e pomares no quintal das casas. Uma experiência de sucesso do projeto vem acontecendo na comunidade Caiçara dos Pintos, na zona rural de São João do Sabugi, RN. Na noite de terça-feira, dia 7, o bispo da Diocese de Caicó, Dom Manoel Delson conheceu o projeto e celebrou Missa em Ação de Graças, no calçadão da própria cisterna, contando com significativa presença de pessoas da comunidade.
O projeto contou com vários parceiros, entre eles o Banco do Nordeste, que foi representado, na ocasião, pelo agente de desenvolvimento Marcial Araújo. Ele explicou que o projeto foi enviado ao banco pelo Seapac, e selecionado como inovador, pela sua importância para as comunidades rurais. “A intenção é fazer com que as pessoas convivam com o semi-árido, de uma forma sustentável e produzindo de forma agro-ecológica, sem venenos e que venha a ajudar na qualidade de vida de toda a população da comunidade”, disse Marcial.
A comunidade de Caiçaras tem aproximadamente 30 famílias, e mais de 10 delas estão produzindo e colhendo seus frutos, graças à cisterna. É uma produção coletiva, onde as mulheres trabalham mais, e quando chega ao final da colheita, dividem entre elas e consequentemente para toda a comunidade, explicou Inácio Dantas, secretário do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São João do Sabugi. Como 2012 foi um ano de pouquíssimas chuvas, a cisterna conta com a ajuda de carros pipas do Município para permanecer cheia.


Fonte: blog de Marcos Dantas
Fotos : Anchieta França

Postagem: Anna Jailma - jornalista e blogueira

2 comentários:

magosilrr disse...

Procuro ligia maria fernandes em s.j. do sabuji

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Por favor deixe um telefone de contato para haver contato, caso a pessoa seja encontrada.
Se tiver mais informações pode ajudar na busca, como idade aproximada de Ligia Maria Fernandes, nome dos pais ou irmãos, etc.

Grata e boa sorte na busca.