segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Desmatamento da Rua João Manoel é cancelado, em São João do Sabugi



 Foto Anna Jailma: Escola Estadual Senador José Bernardo - todas as árvores que acompanhavam a calçada, foram retiradas.

 Foto Caíque Diogo: Rua João Manoel, com canteiros derrubados e mais à frente, árvores que seriam derrubadas posteriormente.


Sexta-feira, dia 14 de dezembro, não foi um dia qualquer na história de São João do Sabugi, RN.  Motosserras, com autorização do prefeito interino Vivarte Brito, destruíram canteiros com árvores da Rua João Manoel,  que dá acesso a Escola Municipal Pe. Joaquim Félix.  Na Escola Estadual Senador José Bernardo, todas as árvores, em frente a escola, foram banidas; como se fossem ervas daninhas. 
A sentença de morte foi dada para árvores de até 25 anos de vida: mulungu, pau d’arco, caraibeiras, e tantas outras, inclusive, nas proximidades da Rua Professor Antônio Carlos.
Na rede social do facebook, um dos primeiros gritos ecoados, de socorro e repúdio ao ato, foi dado pela professora Djanira Araújo Medeiros, que tem sua vida pautada na Educação e Cultura; com uma trajetória de vida bem marcada pela defesa do meio ambiente. Pelas ruas e em rede social, os sabugienses foram registrando a contrariedade diante do episódio. E não se tratava de uma luta partidária, mas de uma luta do povo em prol de todos. Puro exercício de cidadania e democracia. O momento é de estiagem e não há grandes possibilidades de inverno. Árvore no semi-árido, é sobretudo, necessidade para manter a qualidade de vida.
Sabe-se que trata-se de um projeto para beneficiar o trânsito na cidade e que na Escola Senador José Bernardo, será construído uma praça. Parece contraditório: para se construir uma praça, houve antes uma derrubada de árvores...
Diante das demonstrações contrárias ao ocorrido, houve nesta segunda-feira, dia 17, reunião na Prefeitura Municipal, onde, conforme informação da professora Djanira, foi esclarecido que serão feitas proteções ao redor das árvores; que restaram na Rua João Manoel: “Tivemos esclarecimentos por parte do prefeito em exercício, Sr Vivarte Brito, hoje, em seu gabinete, sobre a continuidade do trabalho a ser realizado na rua João Manoel. O mesmo colocou que serão feitas proteções ao redor das plantas restantes, em sua maioria. Aproveitei e falei sobre a nossa proposta de educação ambiental para 2013 que, entre outros aspectos, dar continuidade a questão da água - 2013 é o Ano Internacional da Água - além de outros aspectos frisados, como o lixo e o replantio da mata ciliar e nativa” declarou a professora.
É gratificante registrar o resultado positivo de uma ação de cidadania. Governos democráticos são exercidos com diálogo, com troca de experiências e principalmente dando “vez e voz” ao povo.  Como bem disse o Promotor de Justiça, dia 11, em solenidade de posse dos eleitos em São João do Sabugi e Ipueira “os eleitos têm as funções, quem tem o poder é o povo”.
Ser cidadão é ter opinião própria, sobre o mundo que o cerca e ter a coragem de defender estas ideias; de uma forma pacífica, mas, com firmeza e apresentação de argumentos sérios. Não se pode ser omisso. Vivemos num país democrático, graças a Deus, e ao povo, que lutou pela democracia.
Como bem disse a professora Djanira “esperamos que continuem essas conversas como a de hoje, nesta gestão e por todas as gestões que vierem no futuro; independente do segmento político que governe nossa terra. Nossa bandeira de luta é a Educação e a Cultura”.


Anna Jailma – jornalista e blogueira

2 comentários:

Camila Hasan disse...

Achei ótima e linda a manifestação do povo em prol das questões ambientais. É inadmissível que nos dias de hoje os inúmeros benefícios que a natureza nos proporciona sejam ignorados... Árvore é vida, e a vida merece ser enaltecida e preservada! Parabéns povo de São João do Sabuji, continuem defendendo as causas ambientais!

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Cara Camila Hasan, que bom lê seu comentário por aqui. Lembro que você é uma das jovens que chegou a planejar projeto para o Projeto Rondon, mas acabou não vindo para nossa terra. Quem sabe um dia, a teremos por aqui.
Sinto dizer que a decisão divulgada nesta matéria, não condiz com a realidade atual. Alguns dias depois da publicação desta matéria, a administração municipal optou pela retirada total das árvores, na referida Rua João Manoel. Lamentável.