quarta-feira, 17 de julho de 2013

São João do Sabugi recepciona quatro jovens alemães da JMJ



Jovens sabugienses e alemães

Serra do Mulungu, por testemunha da caminhada missionária dos jovens

Programação da Semana Missionária com alemães, em São João do Sabugi RN

JUPAC, Jovens Unidos Para Amar Cristo, grupo jovem sabugiense, em momento de oração, antes da chegada dos alemães
 
Aqui no Seridó, 70 jovens alemães, permanecem distribuídos em residências de 27 paróquias, inclusive, 04 deles na Paróquia de São João Batista, em São João do Sabugi, RN. Eles vão participar da Semana Missionária nas paróquias, em preparação para Jornada Mundial da Juventude - JMJ, que acontece de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro.
Em São João do Sabugi, a programação da Semana Missionária, em recepção aos alemães, inclui: missa – já realizada ontem – para apresentação dos jovens à comunidade,  caminhada penitencial para o Serrote da Cruz e café comunitário, visitas missionárias em bairros da cidade, celebrações eucarísticas, filme, noite cultural, almoço cultural, leitura orante com reflexão, visita a Ipueira e outras atividades sociais e cristãs.
Os jovens estão hospedados em residências de famílias sabugienses. É notória a alegria da comunidade, em especial da juventude, em recepcionar os jovens alemães. A troca de informações sobre a cultura é constante, driblando a dificuldade de comunicação. Sobre o idioma, é importante frisar que em São João do Sabugi, a adolescente Maria Rita, de família sabugiense - filha de Thaise Galvão e Rivelino Cabral, fala inglês fluentemente e está, voluntariamente, sendo a tradutora dos jovens, facilitando a comunicação.
No próximo sábado, todos os jovens vindos da Alemanha, vão se reunir em Caicó, integrando os festejos de Sant'Ana, e recebendo bênção de envio, junto aos 300 jovens seridoenses que vão para a Jornada Mundial da Juventude.
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Layne/JUPAC

São João do Sabugi cria Conselho de Proteção ao Patrimônio Histórico-Cultural e Natural

Em São João do Sabugi, RN, ocorreu reunião nesta quarta-feira para a implementação da Lei Municipal nº 458/2005, que dispõe sobre a proteção ao patrimônio histórico-cultural e natural de São João do Sabugi.
A expectativa é que o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural e Natural, seja ativado e funcione efetivamente como órgão responsável pela proteção ao patrimônio do município.
A Lei Municipal que trata da proteção do patrimônio em São João do Sabugi, é datada de 2005 e o Ministério Público solicitou à Secretaria Municipal de Cultura que essa lei seja executada; sendo necessário para isto, a nomeação do conselho. Assim sendo, a reunião inicial foi providenciada pela Secretária de Cultura, Katiane Silva.
O historiador João Quintino de Medeiros Filho, destaca a importância do estudo entre os conselheiros, favorecendo o entendimento sobre patrimônio histórico cultural e natural.
“A partir de agora e após a posse dos conselheiros, sugeri que se fizesse um "dia de estudos" da legislação nacional e estadual sobre patrimônio, antes que o Conselho comece de fato a atuar”, disse o professor João Quintino, membro do Conselho, em rede social.
Na reunião inicial para criação do Conselho, se fizeram presentes a secretária municipal de Cultura, Katiane Silva, João Quintino Filho, Djanira Araújo de Medeiros, Egnaldo Medeiros, Amanda Lins Gorgônio Costa, Abraão Ezequiel, Bernadete Medeiros, Braz Brito e Romualdo Queiroz.
Parabéns aos integrados neste objetivo tão importante para preservação da cultura local.
 
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira

segunda-feira, 15 de julho de 2013

90 anos de Braz Caboclo - Homenagem


Biografia de Braz Antônio de Morais – Braz Caboclo


Por Anna Jailma


No município de Ipueira, em 10 de julho de 1923, nasceu Braz Antônio de Morais, filho de Antônio Carneiro de Morais e Maria Eulália de Medeiros. Ele próprio destaca “nasci no sítio, que hoje é Ipueira; onde era a bodega de Chico Quinino”. Braz Caboclo, como é conhecido, é o 4º filho de uma família de 08 irmãos.

Na infância, como a maioria das crianças da época, já ajudava o pai nas tarefas que contribuíam para o sustento da família. Em 1932, aos 9 anos, cuidava de porcos e do gado, no Sítio João Pinto, propriedade de Lucas Marcelino. Deste período, Braz lembra sorrindo da valente Sardinha, cadela responsável pela segurança da casa, que enfrentava até raposa, na madrugada.

Na cidade, Braz cresceu vendendo carga d’água nas residências. O olhar de menino passeava pelas ruas...o caminhar até poderia ser lento, mas, era sempre incansável. E o pensamento criava asas, voava longe... até que o suor o fazia parar e enxugar o rosto queimado pelo sol.

Antes da ida ao Exército, Braz também carregava areia e tijolo para as construções. E sobre o serviço militar, ele não pensa duas vezes ao afirmar que foi a melhor época de sua vida. Sonhava em ir a guerra, porque queria conhecer o mundo. O medo não existia. Braz diz com convicção que “quando se é jovem não se pensa em perigo”.

Não foi à guerra, mas, permaneceu no Exército de 1945 a 1946.Em 1946, esteve em Fernando de Noronha, no Segundo Batalhão 16 RI. Desta época, permanecem na memória histórias e músicas que ele canta até hoje; com o olhar distante, talvez buscando a imagem do Navio Tupiara,no mar de Fernando de Noronha, ou do avião Cruzeiro do Sul, cruzando o céu.

Antes de exercer a função de pedreiro, Braz Caboclo foi servente do primo Cordovil. Com o passar dos dias, o conhecimento foi aprimorado e Braz tornou-se referência na região. Em São João do Sabugi, RN, muitas das principais obras, tiveram Braz na construção de tijolo à tijolo: a Praça Antônio Quintino de Araújo, a Maternidade Dr. José de Medeiros Rocha, a Torre do lado Sul da Igreja de São João Batista, o Posto de Saúde – hoje, Unidade Mista de Saúde Dr. Kival Gorgônio, o Cemitério Público São Pedro, o antigo prédio da Escola Estadual Santa Terezinha e a Escola Estadual Senador José Bernardo.

Entre as diversões de Braz são citadas as cantigas de viola, que até hoje gosta de ouvir,e canta, embalando a lida diária do filho Dercílio. Tem preferência por versos bem humorados e vez ou outra,recita alguma poesia popular de poetas que admira.  Já os jogos de futebol – que perdia o passar das horas ouvindo pelo rádio – hoje assiste pela televisão, sendo torcedor do Flamengo.

Dançar sempre foi uma das suas diversões preferidas. Ele cita que dançou muito, principalmente nos forrós dos sítios, em João Pinto e Caiçaras. Mas foi em baile da casa de Zé Tiú, no Sítio Sacramento, que conheceu a moça Francisca Fernandes Medeiros de Morais, com quem casou em 02 de março de 1953, na Capela de São João Batista, aqui em São João do Sabugi, recebendo as bênçãos matrimoniais de Pe. Sinval Laurentino.Do matrimônio, foi construída a família de 11 filhos, 35 netos e 14 bisnetos.

Do alto de seus 90 anos, Braz faz questão de citar “eu fui uma das pessoas que mais trabalhou no mundo”. Com sonhos, lutas, risos, amores, suor e lágrimas, Braz Caboclo é um genuíno sertanejo, “antes de tudo um forte”, como tão bem descreveu o escritor Euclides da Cunha. E por isso, estamos aqui reunidos: para agradecer a Deus pelos seus 90 anos e parabenizá-lo pela sua história de vida.  Feliz Aniversário!

 
 

90 anos de Braz Caboclo - Alegria reunida

Com informações a mim passadas por Braz, transmiti aos presentes, fatos marcantes de sua história de vida.

Violeiros de Patos, PB, marcaram a festa com uma das mais ricas expressões da cultura popular: a cantiga de viola

Orion, também com 90 anos, esteve com Braz compartilhando de sua alegria










Nos seus 90 anos, além de ser homenageado com cada abraço recebido, Braz teve sua história de vida contada em biografia e em cantiga de viola, expressão cultural que ele muito admira. Também houve homenagem prestada pelo maestro Totó Medeiros, executando "Parabéns à Você" e "Hino de São João Batista", nosso padroeiro.

Postagem - Anna Jailma
Fotos - Ednaldo Medeiros

90 Anos de Braz Caboclo - Família reunida














Pode-se afirmar que, os 90 anos de Braz Caboclo, foi uma grande comemoração para toda a família. Era visível a alegria de cada reencontro. São momentos como este que proporcionam grandes abraços, muitos risos, choro de alegria, muitas recordações e principalmente, o registro de uma família que se aconchega. Festas assim são marcantes para todos os presentes, de todas as gerações.
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Ednaldo Medeiros

90 Anos de Braz Caboclo - Detalhes da Decoração

 





Como exímio decorador e organizador de eventos que é, Dercílio Morais organizou a comemoração pelos 90 anos de seu pai, Braz Caboclo, enriquecendo cada detalhe: o bolo homenageando o violeiro - arte admirada por Braz, a mesa com instrumentos de trabalho de pedreiro - ofício desenvolvido por Braz com maestria.
Para o paladar, nada faltou: lá estavam os mil sabores do 'café da tarde' da mesa seridoense, todos em destaque, lembrando a mesa de todos nós no cafezinho tradicional de todas as tardes: filhós, tapioca, bolacha de leite, queijo de manteiga, cequilhos, raivas, bolo grude, bolo de leite, café, sucos e para os que preferem a tenda do fim do alpendre, lindamente ornamentada - licores, cachacinha e petiscos.
Delícia de vida!
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Ednaldo Medeiros

segunda-feira, 8 de julho de 2013

São João em São João - Procissão de Encerramento

















A Procissão de Encerramento da Festa do Padroeiro, é sempre o momento mais especial dos festejos. Tem no coração dos devotos, a mistura de compromisso de fé e a esperança de que durante o ano que segue, as bênçãos do padroeiro protejam todos os fiéis; com a graça de que no ano seguinte, todos estejam novamente com saúde, sonhos realizados e esperanças renovadas, no novo caminhar...
A procissão é sempre a caminhada do agradecimento, do pedido de fé carregado de esperança, dos pagadores de promessas alcançadas, dos olhares com brilho de lágrima pela emoção ou pela saudade dos que se foram. Hoje, com o avanço da tecnologia, é grande o número de registros em fotografias ou filmagens: queremos guardar para sempre aquele momento único. Cada ano é especial, único. Cada descida da bandeira, é um aceno emocionante, que queremos registrar para sempre e compartilhar com os que estão distantes.
A Festa de São João Batista encerrou dia 24 de junho, dia do padroeiro. Neste ano,  numa segunda-feira, mas, é impressionante como até mesmo os filhos da terra, que residem em outras cidades, comparecem; fazendo um mar branco de pessoas de fé, à acompanharem a procissão pelas ruas.
O povo sabugiense é gente de fé, gente que faz o São João em São João ser grandioso, glorioso, mesmo com as adversidades da falta de chuvas.
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - Dercílio Morais