sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Festa de Sant'Ana 2013


A Festa de Sant’Ana sempre marca pela variedade de opções, conquistando todas as preferências. Neste ano não foi diferente. O Pavilhão de Sant’Ana, a Casa de Cultura Popular e a Praça Dinarte Mariz – a popular ‘Praça do Corêto” – trouxeram uma diversificada programação cultural.

No Pavilhão de Sant’Ana, após as novenas, havia a mistura do bom gosto da culinária do Barracão de Sant’Ana e da boa música com artistas da terra passeando pela MPB, boleros e músicas regionais.

A Praça Dinarte Mariz reúne o público amante das filarmônicas. O evento já conhecido como Banda na Praça, apresentou-se neste ano com o título de Coreto Musical. Todas as noites, a anfitriã – Filarmônica Recreio Caicoense – apresenta-se recepcionando os convidados e logo após, uma banda de música visitante, toma posse do palco para sua apresentação. O repertório das filarmônicas abrange dobrados, valsas, e também trilha sonora de filmes consagrados, músicas regionais – destaque para Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Elino Julião- e músicas da Jovem Guarda. Ainda após apresentações das bandas de música, artistas da terra apresentavam-se no palco – aqui destaco o show de Jonas Linhares, no sábado, dia 27.

Na Casa de Cultura, a programação de 10 anos da inauguração daquele celeiro de cultura, abraçou o teatro, filarmônicas, mamulengos, coral, violonistas, cantores da terra, sanfoneiros, violeiros, muita poesia, arte plástica, exposição fotográfica, artesanato e lançamentos de importantes obras da literatura.

Já no Complexo Turístico Ilha de Sant’Ana, a festa da padroeira trouxe a tradicional FAMUSE – Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó, uma variedade de opções nos parques de diversão ancorados na Ilha e bandas para quem dança de tudo, muito.

Vale destacar que na FAMUSE, houve apresentação de Coral do SEBRAE, na abertura, dia 24 e outras apresentações culturais; inclusive, valorizando o bom forró regional – e aqui destaco o Forró Xique-Xique de São João do Sabugi, que compareceu na FAMUSE, dia 25 de julho.

Em outros locais, as festas como a do Ex-Aluno no CDS, o tradicional Baile dos Coroas, Festa da Juventude, Forró das Antigas ( que nem é tão antigo assim...) e a recém-consagrada Noite Branca, da Pousada Céu Azul, foram as mais comentadas e elogiadas.

Festa de Sant’Ana é um estrondo, como tão bem cita Monsenhor Antenor. É grande na fé, na festança, nos reencontros e na esperança de que no ano seguinte, tudo se repita, reunindo todos nós com a mesma alegria, saúde e harmonia.
 
Não se pode deixar de mencionar que, o povo de Sant'Ana marca forte presença em todas as novenas dos festejos. É grande a participação de fiéis e mesmo fora da Catedral de Sant'Ana, os fiéis permanecem atentos aos telões, ouvindo as pregações.

Mas, vale o registro de que precisa haver uma melhor organização, referente ao trânsito. Conseguir um táxi na Festa de Sant’Ana é um sacrifício. Os táxis estavam concentrados nas proximidades da Igreja do Rosário, de forma que se você estivesse na Ilha de Sant’Ana, enfrentaria uma significante distância para conseguir. Poderia ser distribuído por setores, visto que, o fluxo de pessoas é intenso em todos os ambientes das festas. Se ficasse uma parte nas proximidades do Santuário do Rosário e outra na Ilha, já era um avanço.
 
 
Anna Jailma - jornalista e blogueira

 

 

 

 

Nenhum comentário: