segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Aliança com Sant'Ana

Foto/blogRobsonPires

Passou a Festa de Sant’Ana, de Caicó. E o sentimento de aliança com Sant’Ana, como vai? Como cada um de nós, vivencia – independente de onde esteja – a devoção, o afeto, o elo com Sant’Ana?
Com cada neto, existe um elo de amor, de confiança, de aconchego. Mas, vejamos: a aliança de fé não pode ser efêmera, não pode existir somente por dez dias. Elo de amor é constante, perene, sólido.
Ser neta de Sant’Ana é um sentimento que brota de dentro pra fora. É sentir um clima diferente e santo, ao pisar no adro da Catedral, em qualquer tempo, em qualquer dia do ano. Mas, é também sentir esta devoção e vivenciá-la, em qualquer parte; afinal, “longe é um lugar que não existe”. Alimentar o elo de amor com Sant’Ana, é compartilhar as dificuldades, entre lágrimas; mas, não esquecer de compartilhar a alegria, quando vencer os obstáculos da vida.
Vejo Sant’Ana como uma autêntica seridoense. Imagino que tenha rugas que se misturam ao riso sereno de avó, e carrega no olhar uma coragem santa, plantada e regada com seca e chuva, suor e lágrimas. Está longe da ‘seda pura’, prefere o chitão. Não é ostentação, é verdade. 

Que sejamos discípulos da verdade, da cidadania, todos os dias; como legítimos netos de Sant’Ana. É difícil, na sociedade em que vivemos, mas, a gente consegue. Somos netos de Sant’Ana, mãe da graça.


Anna Jailma - jornalista e blogueira
neta de Sant'Ana

Nenhum comentário: