quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Prefeito de São João do Sabugi descumpre acordo feito em audiência pública


Em São João do Sabugi, RN, foi realizada audiência pública em 25 de junho, entre o prefeito Aníbal Pereira, vereadores e população, sobre a proposta de reforma da Praça Antônio Quintino de Araújo. Na ocasião ficou definido que na reforma, seriam preservados o coreto, o dancing e árvores maiores da Praça Antônio Quintino de Araújo. Também houve definição de que não seria incluso arquibancada e que seriam retirados os canteiros, havendo também uma inclusão de quiosque no Bar da Praça, em substituição aos banheiros.

Ontem, por volta de meio-dia, a população foi surpreendida pela demolição do coreto que foi construído antes da praça, que é datada de 1953. O coreto ( antes chamado 'palanque') lá estava quando, sabiamente, o então prefeito Antônio Quintino de Araújo, construiu a praça mantendo o coreto.

Sentindo a demolição do coreto, como uma ‘quebra’ do compromisso firmado, e sobretudo, sentindo a demolição como uma ‘mutilação’ da história local, os sabugienses iniciaram uma verdadeira manifestação de repúdio em rede social. Hoje mais uma surpresa: uma nota com palavras que remetem a ironia, diante da insatisfação da população, foi publicada em página do prefeito, da rede social, direcionada a população.

A nota informativa não condiz com um gestor de 20 anos de vida pública, que deve ter maturidade suficiente para entender que no debate de ideias não cabe o ‘hasteamento de bandeiras partidárias’. A nota usa conotação até desrespeitosa com a população, quando refere-se aos que defendem a manutenção do coreto como “inconformados, que ainda não se recuperaram do resultado das ultimas eleições” e numa tentativa de desviar o foco da discussão afirma  “ sugiro aos nobres que ao invés de “enlouquecer” com a reforma da praça, vão se dedicar para reformar a maternidade, que está caindo e sendo coberta por matos e rachaduras” .

Utiliza termos estranhos ao vocabulário comum do prefeito como “Lembrem-se: não venham com blá blá blá...” e finaliza com uma frase no mínimo desrespeitosa, visto que reflete o tom de zombaria para com a população: “… E não esqueçam: este problema todinho é porque eles estão sabendo que É ARROCHO…

Percebe-se que, pela colocação do prefeito de São João do Sabugi, ele entende que os que defendem a Praça Antônio Quintino de Araújo, em especial o coreto ontem demolido, são seus opositores, ou seja, eleitores de outros representantes políticos do município. Talvez por uma estratégia partidária, ele queira “plantar” este sentimento partidário na população e assim dispersar os que defendem a preservação da praça pública, dividindo o povo através da medíocre briga irracional de bandeiras.

Na audiência pública, o gestor teve comprovações visíveis de que não trata-se de uma luta partidária, mas, sim do senso de preservação do patrimônio histórico e cultural do município. Lá estavam, inclusive, eleitores que o apoiam desde seu início de carreira pública.


Assim sendo, com sua nota dando conotação de que os defensores do patrimônio público são seus opositores na política partidária, leva-se a crer que ele está “dispensando” estes eleitores ou duvidando da fidelidade de seus antigos eleitores que lá estiveram e se pronunciaram. Uma estranha atitude para um “maduro gestor”, um ano antes das próximas eleições. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira

Nenhum comentário: