terça-feira, 22 de março de 2016

Timbaúba dos Batistas leva informações sobre Saúde Mental à comunidade



O município de Timbaúba dos Batistas vem desenvolvendo um trabalho que favorece a informação sobre saúde mental, abordando inclusive, depressão e transtorno de ansiedade. 
Desde o ano passado, estudantes, professores e pais dos alunos, tiveram acesso a palestras e dinâmicas de grupo com assistente social e psicólogo, e neste ano já foi iniciado um Grupo de Terapia, com psicólogo do NASF.


O Núcleo de Apoio a Saúde da Família – NASF  tem na coordenação a Enfermeira Thaynne Morgana e junto a assistente social Adriana Pereira e ao psicólogo Magnus Kelly, foi idealizado e desenvolvido este trabalho que leva informações sobre  Saúde Mental para serem debatidos junto à comunidade, nas escolas, Unidade Básica de Saúde e Casa de Cultura. Isso contribui de forma efetiva para desmistificar o tema, quebrando a barreira ou ‘tabus’, que inibem o conhecimento sobre o assunto e contribuem para a gravidade das situações.


Em escola de Timbaúba, uma dinâmica foi realizada com estudantes abordando prevenção ao uso de drogas, enfocando o uso de drogas lícitas e ilícitas, resultando na participação dos jovens que se integraram bem ao assunto e apresentaram seus posicionamentos na conclusão do trabalho. Também com estudantes, houve a discussão sobre depressão.

Na Casa de Cultura Elino Julião, de Timbaúba dos Batistas, junto as famílias do município, em especial pais e professores, foi abordado a depressão e outros assuntos que envolvem a Saúde Mental, como o transtorno de ansiedade. O momento foi de informação e esclarecimento diante das dúvidas mais comuns da população.


O trabalho vem tendo resultados positivos, inclusive, possibilitando a criação do Grupo de Terapia para Pacientes com Transtornos de Ansiedade, com acompanhamento do psicólogo Magnus Kelly. O grupo de psicoterapia foi formado ano passado, sendo fruto da informação e conscientização da população. 

Todas as ações tem o apoio e integração da Secretaria Municipal de Saúde e Prefeitura Municipal. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Fotos - cedidas

sexta-feira, 18 de março de 2016

Palhaços não aceitam comparações entre eles e classe política






Diante das constantes insatisfações do povo brasileiro com os políticos, tornou-se corriqueiro a expressão de que “os políticos fazem palhaçada”. Os palhaços não aprovam a expressão e sentem-se ofendidos, inclusive, expressando em rede social, a desaprovação em serem comparados com políticos. 

A Cia SUNO de São Paulo, publicou “Que fique claro uma coisa: a grande maioria dos políticos não faz palhaçada e sim safadeza. Quisera o mundo fosse governado por palhaços que são seres generosos que vivem para a alegria do outro, mesmo que através do próprio fracasso. Oposto do comportamento de um político. Respeitem estes seres que alegram, iluminam e encantam a séculos. Não desrespeitem esta máscara tão potente e valiosa. Palhaçada é coisa séria!” 

Não é a primeira vez que se escuta falar na insatisfação dos palhaços, por esta comparação com a classe política. É famosa a frase do grande Charles Chaplin, que declarou “Eu continuo sendo apenas um palhaço, o que já me coloca em nível bem mais alto que o de qualquer político.”

COMPANHIA SUNO: Em Santos, interior de São Paulo, foi fundada em 1998, a Companhia Suno, que desenvolve pesquisa de arte cênica, dando destaque a linguagem, a mímica, dança e o teatro, inseridos no universo do palhaço.
A Companhia é formada por Helena Filgueira – formada em Circo pela École National du Cirque Annie Fratelini, em Paris – e Duba Becker, malabarista, acrobata e palhaço, casado com Helena.  Eles contam com 14 espetáculos, apresentando-se em várias cidades pelo país. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto - arquivo Cia SUNO

Hoje tem bonecaria e mamulengo em Caicó




Hoje no Terreiro das Artes do Centro Cultural Adjuto Dias, aqui em Caicó, tem bonecaria e mamulengos, às 19h, com o calungueiro do sertão Emanuel Bonequeiro e Ricardo Guti, professor do IFRN e integrante da Cooperativa Brasiliense de Teatro e Circo.

A noite promete música, brincadeiras populares, mamulengo com suas histórias ricas em criatividade, e os famosos bonecos de Emanuel Bonequeiro – que falam “pelos cotovelos”. 

Além de fabricar os bonecos, Emanuel Bonequeiro trabalha com ventriloquia, que consiste em projetar a voz, sem que haja o movimento nos lábios e o som pareça sair da boca do boneco, enriquecendo suas apresentações.

Ricardo Guti destaca a arte circense, brincando, cantando e dançando com a criançada, alternando as apresentações com a arte do mamulengo que traz muita criatividade nos diálogos e histórias que envolvem os mamulengos.

Arte de qualidade e gratuita. Quem puder, leve 1kg de alimento. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira

sexta-feira, 11 de março de 2016

Olhai os índios!


A Pinacoteca do Estado em Natal, está com exposição de registros fotográficos, intitulada de “Somos todos uma só raça, somos todos um só povo” que traz 30 fotografias, registrando mais de 40 etnias indígenas durante atividades esportivas.

A exposição tem entrada gratuita e permanece até 10 de abril. O fotógrafo Tasso Pinheiro é o autor dos registros, que foram realizados durante Jogos Mundiais Indígenas 2015. Desta forma, as fotos trazem 20 etnias indígenas brasileiras e 22 de outras partes do mundo.

Anna Jailma
Foto Tasso Pinheiro

Oficina de Cordel 2016 iniciou no Círculo Operário de Caicó




Iniciou ontem, a Oficina de Cordel 2016, da Associação Cultural de Caicó, dirigida pelo poeta Djalma Mota. A oficina acontece às quintas-feiras, no Círculo Operário, bairro Paraíba, às 19h. 

Neste ano a turma conta com mais de 22 alunos, das mais variadas idades e profissões, sendo todos com a vontade de conhecer e fazer cultura popular, através da literatura de cordel. 

Todos os anos acontece lançamento de cordéis realizado pelos alunos da Oficina de Cordel, além das apresentações em vários eventos no Terreiro das Artes, do Centro Cultural  Adjuto Dias.

Para quem ainda pretende participar, basta às oficinas, sempre nas quintas-feiras, 19h, no Círculo Operário. Avante!

Anna Jailma - jornalista e blogueira 
Fotos - Dodora Medeiros

São Paulo planta exemplo de valorização das árvores caídas



Ano passado, a prefeitura de São Paulo, SP, iniciou o Programa Municipal Mobiliário Ecológico, que surgiu em parceria da Secretaria Municipal de Verde e Meio Ambiente, Secretarias de Desenvolvimento Urbano e das Subprefeituras. 

São Paulo, vista como cidade de concreto ou selva de pedra, está plantando o exemplo. As árvores caídas pela cidade transformam-se em grandes bancos para espaços públicos, como no Largo da Batata, em Pinheiros. As obras são assinadas pelo designer Hugo França, especialista em esculturas e mobílias em madeira. 

O objetivo do projeto é reaproveitar as árvores e resíduos que caíram, dando vida as praças e os parques.

Quando trabalhei no jornal O Mossoroense em Mossoró RN tive o prazer de fazer uma matéria sobre uma árvore antiga que foi arrancada apesar de protestos de pessoas da cidade. Na época as pessoas se reuniram, deram destaque as linhas naturais, contornando na madeira desenhos já feitos pela natureza. 

A árvore foi usada nas apresentações de artistas da terra em um barzinho rústico e charmoso... O microfone ficava exatamente em cima daquele tronco e a árvore morta ressurgiu como palco. Sempre é possível construir. Sempre é possível preservar. Mas para saber fazer é preciso ter sensibilidade. Nem todos os nossos gestores têm, infelizmente...

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto - CicloVivo

domingo, 6 de março de 2016

Filme As Sufragistas é exibido no Terreiro das Artes neste domingo


A data de 8 de março, é uma data que remete a comemoração pelas conquistas da mulher ao longo dos anos, e ao mesmo tempo, uma data de luta que persiste, incansável e permanente, pela garantia de direitos.

Em Caicó, o Movimento de Mulheres do Seridó, traz programação alusiva ao Dia da Mulher, a partir deste domingo, dia 6.

O filme As Sufragistas será exibido no Terreiro das Artes do Centro Cultural Adjuto Dias, neste domingo, às 19h.

Logo após a apresentação, haverá espaço para debate sobre as lutas das mulheres aqui no Estado, em especial aqui em Caicó, com destaque para a professora Júlia Medeiros.

As Sufragistas, mostra início do século XX, quando as mulheres ainda não possuíam o direito de voto no Reino Unido, e militantes decidem chamar atenção de políticos locais para o fato. A personagem de Maud enfrenta grande pressão da polícia e familiares, mas escolhe seguir na luta pela igualdade de direitos. O filme transmite a persistência e a coragem de mulheres determinadas, com foco na liberdade e igualdade de direitos, conscientes das dificuldades mas sobretudo, optando em prosseguir lutando. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira