quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Grupo Reflexivo de Homens e Maria da Penha na Escola, tem foco no combate à violência


Em Natal, existe o Grupo Reflexivo de Homens, mantido pelo Núcleo de Apoio à Mulher Vítima de Violência Doméstica (NAMVID) do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), coordenado pela promotora Érica Canuto.

O grupo surgiu em 2012 e vem sendo inspiração para outros Estados do país, devido o resultado surpreendente: tem uma taxa de recuperação de 100%. Ou seja, dos 300 agressores atendidos no grupo, de 2012 a 2015, nenhum teve reincidência.

O índice também levou a uma modificação na Lei Maria da Penha, que teve aprovação recente no Senado:  tornar obrigatório que homens autuados em crimes contra as mulheres, participem de grupos como este, para que a prática da violência não continue.

MARIA DA PENHA NA ESCOLA - Já neste mês de agosto, dia 09, houve o lançamento do Projeto Maria da Penha nas Escolas, em Natal RN, propondo a informação e o debate sobre os direitos da mulher e o combate a violência contra a mulher. O projeto é desenvolvido pela Secretaria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres e teve seu lançamento na Escola Estadual Castro Alves, do bairro Nova Descoberta, na capital do Estado; mas o Governo do Estado pretende expandir para todas as escolas estaduais do RN.


Em outros Estados o Projeto Maria da Penha nas Escolas, já existe, inclusive em 2014 o projeto foi desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal, já promovendo atividades que informem, capacitem e orientem diretores, professores, orientadores e alunos quanto aos direitos da mulher vítima de violência.

No Rio Grande do Norte é alarmante o número de casos relacionados a violência contra a mulher. Neste mês de agosto, em 11 dias, 11 mulheres foram assassinadas. E conforme dados do Observatório da Violência Letal Intencional no RN, 65 mulheres foram mortas aqui no Estado somente neste ano de 2016. 

Para fazer denúncia anônima, DISQUE 180. 

Anna Jailma - jornalista e blogueira
Foto: divulgação

2 comentários:

Anônimo disse...

Jornalista excepcional... Trazendo materias como essa, você trás a tona a discussão sobre nossos direitos. Sou sua fã...
Assina: Nielly Stephany

ANNA JAILMA - annajailma@yahoo.com.br disse...

Obrigada querida! Avante! Nós temos direitos e devemos conhecer, divulgar e lutar a favor dos nossos direitos.