sábado, 8 de outubro de 2016

Aldeia SESC Seridó traz três espetáculos renomados para Caicó, neste sábado

ALDEIA SESC continua, com espetáculos de qualidade e gratuitos, para a população. Participe. Você só tem a ganhar. Segue a programação de hoje: três espetáculos renomados, sucesso em todo país. Entrada Gratuita.


DOIS - Hoje a Aldeia SESC Seridó traz a Cia A Máscara de Teatro, com o espetáculo “Dois”, a partir das 18h, no Salão Nobre da Casa da Cidadania – ao lado da Igreja do Rosário em Caicó RN.

O espetáculo traz um casal, interpretado pelos atores Tony Silva e Luciana Duarte,  revelando sentimentos e frustrações nos bastidores do “fazer teatro”, relembrando as vivências no palco, nas coxias, e camarins.

É o teatro falando em si, através do espetáculo, com suas aventuras, superações, e toda carga de emoção que rege os artistas.

P’S – A partir das 19h, a Trapiá Cia Teatral, está no Galpão Cacimba das Artes, com o espetáculo P’S, que recebeu Prêmio de Melhor Ator para Alexandre Muniz no Festival Internacional de Teatro 2016, em Blumenau SC e no Festival Ipitanga de Teatro – FIT 2016, na Bahia.

P’S também recebeu duas menções honrosas no Festival Internacional de Blumenau, pela Pesquisa da Linguagem e pela Dramaturgia de Gregory Haertel, autor do texto com base na obra de Focault.

Inspirado em “Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão”, de Michel Focault, o espetáculo provoca a reflexão e o debate em torno da memória, da psiquiatria, Justiça e amor desmedido.

JACY – O Grupo Carmin traz o espetáculo JACY, para o palco do CERES da UFRN, neste sábado às 20h. 

De uma maleta com objetos pessoais, encontrada em meio a entulhos, em Natal, RN, nasceu a história de Jacy – a dona da maleta.

A maleta provocou a pesquisa deste grupo de artistas sobre a história daquela mulher desconhecida. Uma história envolvente que traz reflexão sobre envelhecimento, vínculos familiares e a relação pessoal com a história do RN na época da Segunda Guerra à Ditadura Militar.


Dos entulhos ao palco, JACY comprova que seus objetos aparentemente sem valor, eram tesouro para o teatro, porque toda beleza – no fim das contas – depende dos olhos de quem vê.


Anna Jailma 
Fotos - arquivo pessoal dos grupos de teatro e SESC divulgação

Nenhum comentário: